» mais
Comentar           Imprimir
Cidade
Sexta, 12 de maio de 2017, 12h04

Usuários pedem volta dos táxi-lotação às ruas na Capital


A retirada de circulação de táxis-lotação em Cuiabá, por determinação de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), firmado entre a Prefeitura e o Ministério Público (MPE), foi duramente criticada por entidades representantes de usuários e sociedade organizada durante audiência pública requerida pelo vereador Elizeu Nascimento (PSDC), realizada nesta quarta-feira (10).

Na oportunidade, o advogado André Vinicius Marchezetti, da empresa Logitrans - Logística, Engenharia e Transportes, apresentou dados que comprovam a viabilidade e as vantagens dos micro-ônibus dentro do sistema de transporte da Capital.

O consultor André Vinicius Marchezetti apresentou dados que mostram que, além de suprir necessidades importantes no sistema público de transporte da Capital, transportando cerca de 360 mil passageiros por mês, os micro-ônibus oferecem várias outras vantagens. Entre elas estão a possibilidade de cobrar tarifas mais baixas, menor poluição ambiental, 100% de veículos com acessibilidade e maior mobilidade, por conta do tamanho reduzido dos veículos.

De acordo com o especialista, é a modalidade mais inovadora que há e se mostra como uma das melhores alternativas para o futuro do transporte no país.

A audiência debateu o transporte alternativo na cidade com o objetivo de auxiliar na busca por uma solução para o pleno funcionamento do serviço de micro-ônibus, que está presente há 26 anos em Cuiabá.

Ficou evidente que a população está preocupada com a falta dos táxi-lotação e a possibilidade de uma redução ainda maior desses veículos no sistema, segundo as falas de representantes de entidades como a Associação dos Usuários do Transporte Público, Federação Mato-grossense de Bairros, União Cuiabana de Clubes de Mães e Associações de Moradores do Pedra 90 e Morada da Serra.

Segundo o vereador Elizeu Nascimento, que é presidente da Comissão de Transporte Público da Câmara, a situação precisa ser resolvida para que a população não seja ainda mais penalizada, assim como os empresários e empregados das linhas afetadas.

O vereador Misael Galvão também reforçou a necessidade e sugeriu que a Casa crie mais uma comissão para acompanhar a questão do transporte alternativo, colocando-se à disposição para participar e ajudar a fazer o elo entre poder público e empresas.

O presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Público Alternativo de Passageiros do Estado de Mato Grosso (Seta), Marco Aurélio Sales, agradeceu a oportunidade de poder discutir o assunto no Legislativo cuiabano e frisou que os táxi-lotação estão consolidados na Capital e, apesar de serem microempresas, estão dispostos a fornecer o melhor serviço à população, para que a população tenha uma opção a mais de transporte nos bairros, justamente os mais necessitados. 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

A retomada das obras do VLT pode ser:

Palanque político para 2018
Mais uma balela sem fim
Confio na solução do problema
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114