» mais
Comentar           Imprimir
Cidade
Terça, 10 de julho de 2018, 19h04

Xavier afirma que vai propor encerramento da CPI da Saúde


Anúncio foi feito hoje (10) durante sessão plenária. Parlamentar entende que o objetivo real da CPI está sendo desvirtuado, motivo pelo qual ele pretende oficializar seu parecer ao relator da CPI, Ricardo Saad. O presidente do Legislativo, Justino Malheiros, disse que "o caso será tratado com cautela, em consonância com o Jurídico do Parlamento"

Instaurada recentemente pelo Legislativo, a fim der apurar denúncias que envolvem os serviços de Saúde prestados pelo município de Cuiabá, a CPI da Saúde - Comissão Parlamentar de Inquérito pode estar nos seus momentos finais: é que o vereador Dr. Xavier anunciou hoje estar decepcionado com os rumos que a CPI tem tomado no desenvolvimento dos trabalhos, até certo ponto truculentos e desrespeitosos aos servidores, pontuou, o que ele não concorda. “São atitudes contrárias àquelas que devem nortear uma CPI”, descreveu o vereador. A declaração do vereador tiveram respaldo imediato de vários colegas de Parlamento.

Dr. Xavier foi mais além ao explicar seu posicionamento. Afirmou estar profundamente decepcionado com alguns fatos que têm envolvido a condução da CPI da Saúde, efetivamente opostos às metas traçadas quando de sua instauração. “Portanto, irei me reunir hoje ainda com o colega Ricardo Saad e pedir seu encerramento (CPI), em função do estranho direcionamento que ela assumiu nessa fase de diligências. Contradiz, por completo, aquilo que propomos realizar em prol da população, ou seja: apurar 100% as denúncias nesse segmento, e assim tentar melhorar o atendimento público na Saúde. Desrespeitar regras e os servidores da Saúde não se inserem na proposta original da CPI".

O parlamentar frisou que, no caso da CPI, ele assinou como membro focado em buscar as soluções tanto reclamadas pelos munícipes, não para perseguir ou desrespeitar ninguém. "Não é por aí que assinei a CPI. Sou membro da Comissão de Saúde do Legislativo, médico odontólogo. Jamais poderia compactuar com falhas no sistema, qualquer uma que prejudique o atendimento necessário e de direito da população. E fiz questão de participar como colaborador, atendendo ao meu próprio juramento médico”.

Ainda segundo Dr. Xavier, os problemas na área de Saúde não são restritos a Cuiabá, mas, sim, a todo o território nacional. "Conforme disse há alguns dias, a CPI não é nenhuma “caça às bruxas”, porque existe um propósito maior em buscar solucionar as falhas apontadas na Saúde. Então, não caberia adotarmos procedimentos destoantes de ética respeitosa no seu desenrolar. Isso é incompatível à proposta parlamentar de colaborar com o município, para que ele seja guarnecido de boa assistência médica, via SUS. Os reclames se acumulavam na Saúde, e era preciso intensificar medidas que pudessem trazer luz às sombras que se desencadearam sobre o setor. A CPI foi o instrumento oficial disso. Só que perdeu seu rumo, lamentavelmente".

Segundo declaração do presidente da Câmara Municipal, Justino Malheiros, o encerramento da CPI da Saúde “será analisado com prudência e muita cautela, em consonância com a Procuradoria Jurídica da Casa de Leis”. Justino entende que esse assunto é de interesse geral dos munícipes, que merecem um atendimento digno na Saúde. Mas o Parlamento - acentuou - não compactua com nenhuma atitude desrespeitosa que porventura seja praticada no levantamento de informações. "A ética é a tônica de nossas ações diárias. E uma CPI acata postura idêntica".

Também se manifestando, o vereador Renivaldo Nascimento, vice-presidente do Legislativo, alertou que os trabalhos de uma CPI têm que seguir um padrão tecnicamente jurídico, atrelado a um tom respeitoso com todos. “Pela segunda vez, houve registro de que essa CPI desvirtuou-se de tais regras, com registro de abusos incompatíveis à proposta de melhorar a Saúde Pública do município. Inclusive, estou ciente de que já existe reclamação oficial a respeito disso. Gostei da exposição feita pelo colega Dr. Xavier: CPI é um instrumento sério, calcado numa meta coletiva, não individual. As questões de direito devem ser respeitadas sempre”.


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Você concorda com uma candidatura do vice Niuan a deputado estadual?

Não - pois se Emanuel for cassado Cuiabá ficará sem prefeito.
Sim - pois é direito dele como político.
Tanto faz, Mauro Mendes também não teve vice.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114