» mais
Comentar           Imprimir
Cuiabá&VG
Sexta, 24 de maio de 2019, 19h37

Fabinho cobra do Governo Estadual e Federal solução para obras inacabadas do VLT


A Câmara Municipal de Várzea Grande aprovou na sessão ordinária desta quarta-feira (22.05) o requerimento Nº 32/2019, de autoria do presidente da Casa, vereador Fábio José Tardin – Fabinho (DEM), que cobra uma definição sobre as obras paralisadas do Veículo Leve Sobre Trilhos–VLT de Cuiabá e Várzea Grande.

.

O pedido foi destinado ao governador Mauro Mendes (DEM) por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) e Secretaria de Estado de Planejamento (Seplag), bem como ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional – pasta que integrou o Ministério das Cidades.

“As obras do VLT tornaram a região central de Várzea Grande um verdadeiro cemitério do comércio e vidas que foram ceifadas na avenida de FEB. De uma forma ou de outra, precisamos encontrar uma solução. A obra inacabada traz grande prejuízo à população várzea-grandense, pois foram aplicados recursos públicos e o cidadão não tem o benefício. Não podemos ficar esperando mais quatro ou cinco anos para resolver”, cobrou Fabinho.

Tardin questiona se existe algum estudo de viabilidade econômica que demonstre a possibilidade de retomada das obras e quais tratativas foram tomadas em relação ao Judiciário. Diante de uma possibilidade do Estado abandonar o projeto, ele ainda indaga se existe um plano de ação para reaproveitamento ou para retirada total das obras já executadas.

.

VLT - Iniciadas em maio de 2012, com orçamento de R$ 1,477 bilhão para entrega na Copa do Mundo 2014, as obras encontram-se inacabadas e judicializadas desde 2015. No período foram desembolsados quase R$ 1,1 bilhão dos cofres públicos. Atualmente, o Estado tem saldo de R$ 193,4 milhões destinados ao VLT remanescente do financiamento original. O projeto executivo encontra-se 100% entregue e encontra-se concluído em 80%.

Judicialização – Em agosto de 2017, após delação do ex-governador Silval Barbosa foi deflagrada pelo Ministério Público Federal e Polícia Federal a “Operação Descarrilho”, que investiga suposto pagamento de propina para implantação do VLT. Desde então, o contrato entre o Governo do Estado e Consórcio VLT foi suspenso. Ainda por decisão da desembargadora Helena Maria Bezerra Ramos, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT), o Estado foi proibido de tomar qualquer medida baseada no termo de rescisão do contrato e de lançamento de novo edital.

Palestra – A Câmara Municipal de Várzea Grande convida a população para debater a situação das obras do VLT no dia (30.05), às 9:00 horas. A convite do vereador Rodrigo Coelho (PTB), o evento contará com a palestra do coordenador do Movimento Pró-VLT, Vicente Vuolo e demais autoridades. 

 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Em quem você votaria hoje para prefeito de Cuiabá?

Pedro Taques
Blairo Maggi
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114