» mais
Comentar           Imprimir
Economia
Segunda, 16 de abril de 2018, 17h03

Sicredi tem crescimento de 31% na região Centro Norte do país


.

A Central Sicredi Centro Norte, que abrange os estados de Mato Grosso, Rondônia, Pará e Acre, comemora os números obtidos em 2017. Apesar do cenário econômico ainda desafiador em vários segmentos da economia brasileira, a instituição financeira cooperativa mostra a solidez do negócio e a força do cooperativismo de crédito no meio financeiro, com diferenciais que atraem cada vez mais associados para este modelo de organização econômica.

 

.

Entre os diferenciais em relação ao sistema financeiro tradicional estão os Resultados, recursos que são devolvidos aos associados ao fim do exercício financeiro, distribuídos conforme a movimentação financeira do cooperado. Em 2017, os Resultados atingiram R$ 403,4 milhões, avanço de 31% sobre o valor registrado em 2016, quando totalizou R$ 308,1 milhões. Para entender melhor, os Resultados são as sobras líquidas acrescidas das despesas de juros ao capital. Do total contabilizado no ano passado em Resultados, R$ 73,578 milhões foram pagos via juros ao capital social dos associados.

 

A robustez do cooperativismo de crédito pode ser mensurada através de alguns indicadores como Ativos, Patrimônio Líquido, Depósitos Totais e Operações de Crédito. Em todas essas categorias, o Sicredi cresceu na região Centro Norte do país. Os Ativos somaram R$ 8,84 bilhões em 2017, aumento de 19,4% sobre o ano anterior, quando totalizou R$ 7,4 bilhões. O mesmo percentual de expansão foi verificado no Patrimônio Líquido, que avançou de R$ 1,8 bilhão para R$ 2,1 bilhões de um ano para outro. Os Depósitos Totais passaram de R$ 3,9 bilhões em 2016 para R$ 4,8 bilhões no último ano, uma alta de 23%.

 

"Através desses indicadores, cujo percentual de crescimento foi acima de dois dígitos, conseguimos demonstrar o quanto o cooperativismo de crédito, do qual o Sicredi faz parte, é sólido e se torna uma alternativa para pessoas físicas, produtores rurais e empresas fazerem suas movimentações financeiras. Não temos o objetivo de lucro, mas sim de melhorar a condição econômica dos nossos associados e da região onde eles vivem, por isso, quanto maior for nosso desempenho, mais a sociedade se beneficia direta e indiretamente disso", afirma o presidente da Central Sicredi Centro Norte, João Spenthof, ao acrescentar que a instituição financeira cooperativa acredita na capacidade empreendedora dos associados e na retomada da economia brasileira.

 

Como apoiador dos negócios, independentemente do tamanho deles, a Central Sicredi Centro Norte registrou, no fechamento de 2017, uma carteira de crédito de R$ 7,2 bilhões, expansão de 24,3% sobre os R$ 5,8 bilhões contabilizados no ano anterior. O Crédito Comercial registrou saldo de R$ 2,917 bilhões, alta de 4,2% em relação aos R$ 2,797 bilhões do ano anterior. O Crédito Rural evoluiu 33,2%, passando de R$ 3,2 bilhões para R$ 4,2 bilhões na variação anual. Neste segmento, as operações com recursos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) tiveram aumento de 18,7%, ao sair de R$ 422 milhões para R$ 501,4 milhões de um ano para outro.

 

Com o compromisso de sempre oferecer mais aos seus associados, no fim de outubro de 2017, o Sicredi lançou a própria máquina de cartões em âmbito nacional, e marcou sua entrada no mercado de adquirência, em parceria com a First Data, líder mundial em soluções de processamento de pagamentos e comércio eletrônico. A máquina de cartões do Sicredi possui todas as funcionalidades, com operações para cartões de crédito, débito e voucher. O público alvo é majoritariamente pessoas jurídicas e Microempreendedores Individuais (MEIs), mas pessoas físicas como profissionais liberais também podem acessar. Pode ser solicitada em qualquer agência da instituição financeira cooperativa. Na região Centro Norte, ao fim de 2017, o número de máquinas em uso somava 3.604.

 

As operações com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) subiram 32,7%, para R$ 1,593 bilhão, e as realizadas com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) saltaram 61,5%, para R$ 244 milhões. "Diante desses números positivos projetamos mais crescimento para 2018 em todos os segmentos, nos depósitos totais, nos ativos, no patrimônio líquido, nas operações de crédito, com incremento acima de 10%. Isso porque acreditamos no nosso negócio e no retorno dele para a sociedade", pontua Spenthof.

 

Ele exemplifica citando o chamado "ciclo virtuoso", em que as movimentações realizadas pelos associados voltam para a região onde eles moram. "As aplicações na poupança, por exemplo, ajudam a fomentar o crédito rural. Com mais crédito disponível, maior será o apoio da instituição financeira cooperativa aos produtores, que vão produzir mais, movimentar outros setores da economia e contribuir para a geração de emprego e renda locais, e dessa forma contribuir para o desenvolvimento da comunidade".

 

Por falar em poupança, ela foi o grande destaque no balanço do Sicredi na região Centro Norte em 2017. O crescimento foi de 34,5%, ao sair de uma carteira de R$ 884,7 milhões em 2016 para R$ 1,189 bilhão no ano passado. E toda a evolução registrada no último ano foi possível graças à capilaridade do Sicredi e ao seu jeito de atender, que é mais simples, próximo e ativo, sempre focado em ter as melhores soluções financeiras para atender as necessidades dos associados.

 

Para estimular o hábito de poupar, um dos instrumentos usados na educação financeira, as cooperativas do Sicredi na região Centro Norte lançaram no início deste mês a campanha Poupança Premiada, que terá 18 sorteios semanais no valor de R$ 1 mil e dois grandes sorteios ao fim da campanha (em dezembro) de R$ 100 mil cada. A cada R$ 100 depositados, a pessoa já tem chance de ganhar.

 

Na região Centro Norte, o Sicredi tem mais de 376 mil associados. São cerca de 338,1 mil em Mato Grosso, 7.485 em Rondônia, aproximadamente 30 mil no Pará e mais de 800 no Acre, onde o Sicredi chegou em 2017, na Capital Rio Branco e na cidade de Acrelândia.

 

São 166 agências distribuídas por 134 municípios nos quatro estados. Considerando apenas em Mato Grosso, o Sicredi é a única instituição financeira em 33 cidades. E para atender um número crescente de associados, o time de colaboradores aumentou 5%, para 2.886 no ano passado na região Centro Norte.

 

No Brasil 

 

No país, o Sicredi – instituição financeira cooperativa com mais de 3,7 milhões de associados e atuação em 21 estados brasileiros – registrou 20% de crescimento, alcançando o resultado líquido de R$ 2,35 bilhões em 2017. Os ativos totais avançaram 17,3% na comparação com o ano anterior, chegando a R$ 77,3 bilhões.

 

Em patrimônio líquido também conquistou resultado positivo, com aumento de 18,2%, totalizando R$ 12,8 bilhões. O Índice de Basileia Aglutinado (análise gerencial que compara o patrimônio de referência de todas as entidades do Sistema com os riscos de suas atividades) foi de 24,03%, em dezembro de 2017, o que representa confortável situação patrimonial.

 

Os depósitos totais cresceram 17,5%, com volume de R$ 50,4 bilhões. A poupança foi a categoria que apresentou o melhor desempenho, com aumento de 39,4%, alcançando R$ 9,59 bilhões de carteira. Na sequência, estão os "depósitos à vista", com incremento de 23,9%, totalizando R$ 7,16 bilhões.

 

"O ano de 2017 foi um dos melhores da trajetória do Sicredi, pois continuamos contribuindo fortemente com os nossos associados e com o desenvolvimento local. Conquistamos um crescimento sólido em indicadores financeiros, mesmo com todas as adversidades do cenário econômico. Também cabe destacar o processo de transformação digital por meio do qual estamos realizando a substituição progressiva dos sistemas que processam os nossos produtos e serviços (core bancário) e o desenvolvimento da nossa plataforma digital Woop Sicredi", afirma o presidente-executivo do Banco Cooperativo Sicredi, João Tavares.

 

A carteira de crédito totalizou R$ 43,9 bilhões ao fim de 2017, aumento de 21,1% na comparação com o mesmo período no ano anterior. Deste total, R$ 25,2 bilhões foram destinados para o crédito geral, enquanto o crédito rural recebeu R$ 18,7 bilhões. A taxa de inadimplência fechou 2017 com 1,74%, apresentando decréscimo de 0,64 ponto percentual na comparação com dezembro de 2016.

 

As receitas de serviços somaram R$ 1,56 bilhão, aumento de 21% nos últimos 12 meses, com destaque para as receitas originárias de tarifas e serviços bancários (R$ 619,4 milhões), seguros (R$ 263,7 milhões), cartões (R$ 219,8 milhões), cobranças (R$ 212,0 milhões) e consórcios (R$ 141,0 milhões).

 

Também no ano passado, o Sicredi – pioneiro em cooperativismo de crédito no país e modelo de governança no segmento – atingiu a marca de 1.575 agências, em 21 estados brasileiros, com um portfólio que oferece mais de 300 soluções financeiras para os associados. A instituição financeira cooperativa conta com 22,8 mil colaboradores em 1.212 cidades. Em 199 municípios, o Sicredi é a única instituição financeira presente.

 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

O futuro político de Pedro Taques será:

Candidato a prefeito de Cuiabá em 2020
Voltar a operar na área de Direito
Não me interessa, problema dele.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114