» mais
Comentar           Imprimir
Pesquisa/Tecnologia
Quinta, 20 de dezembro de 2018, 12h37

Acordo Brasil-Argentina amplia o uso de satélites entre os dois países


A proposta brasileira de inclusão de novas faixas de frequência ao acordo bilateral para o Provimento de Capacidade Espacial foi aceita, no último dia 13 de dezembro, pelo Ministério de Modernização da Argentina.

Com a aprovação da emenda ao acordo, as empresas brasileiras de satélites passam a investir também no mercado argentino com o título de satélite estrangeiro e, assim, podem ampliar o volume de comércio bilateral e os serviços de telecomunicações prestados aos consumidores dos dois países.

O acordo, assinado em 2001, tem por objetivo facilitar o provimento de capacidade de satélites brasileiros no mercado argentino, e de forma recíproca, de satélites argentinos no mercado brasileiro, assim como as condições e os critérios técnicos para o desenvolvimento desse mercado em ambos os países de forma coordenada e em conformidade com o Regulamento de Radiocomunicações da União Internacional de Telecomunicações (UIT).

De acordo com a regulamentação local, para que um satélite estrangeiro seja autorizado a comercializar sua capacidade em território argentino é necessário que a administração de origem daquele satélite tenha firmado um acordo bilateral com o governo da Argentina.

Com a aceitação da proposta brasileira, as faixas de frequência constantes do acordo que antes permitiam apenas as bandas C, Ku e Ka não planejadas, a partir de agora compõem um quadro mais amplo para as empresas brasileiras no mercado argentino com a inclusão de bandas planejadas nas seguintes faixas:

Frequências do enlace de subida
Antigas - Novas
Frequências do enlace de descida
Antigas - Novas
5.850 – 6.425 MHz
3.625 – 4.200 MHz
6.725 – 7.025 MHz
4.500 – 4.800 MHz
12,75 – 13,25 GHz
10,70 – 10,95 GHz
11,20 – 11,45 GHz
13,75 – 14,00 GHz
10,95 – 11,20 GHz
11,45 – 11,70 GHz
14,0 – 14,5 GHz
11,7 – 12,2 GHz
17,3 – 17,8 GHz
12,20 – 12,70 GHz
27,00 – 30,00 GHz
17,70 – 20,20 GHz

Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Sobre taxação do agronegócio em MT, o que você sugere?

Não deve ser taxado e fica como está.
Muda o discurso e industrialize
Apenas fogo de palha. Logo se acertam.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114