» mais
Comentar           Imprimir
Política MT
Terça, 26 de fevereiro de 2019, 15h23

Três deputados propõem criação de frente parlamentar dos agentes de saúde


Dos cinco deputados estaduais médicos - eleitos na última eleição de outubro de 2018 – três deles apresentaram requerimentos solicitando à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa a instalação de frente parlamentar em defesa dos direitos dos agentes comunitários de saúde e dos agentes de combate às endemias.

A coordenação geral da frente parlamentar será do Dr. Gimenez (PV). Os outros dois deputados médicos que sugeriram a criação da frente são Lúdio Cabral (PT) e Guilherme Maluf (PSDB). Em 2015, o ex-deputado estadual e atual deputado federal Dr. Leonardo (SD) coordenou trabalhos similares. À época, foram realizadas audiências públicas em Cuiabá e no interior do estado.

Na atual legislatura, a frente parlamentar já realizou a primeira audiência pública com os agentes de saúde. Entre os objetivos da frente, nos próximos dois anos, está o de propor um projeto de emenda constitucional (PEC) que garanta a execução da Emenda Constitucional Federal 51/2006 (que disciplina o exercício das atividades do agente comunitário de saúde).

Hoje, em todo o estado, de acordo com a presidente do Sindicato dos Agentes de Saúde de Mato Grosso (Sindacs-MT), Dinorá Magalhães, existem mais de oito mil agentes de saúde, se somado com os agentes de combate a endemias chega a pouco mais de dez mil servidores. Eles atuam nos 141 municípios mato-grossenses. O salário base da categoria é de R$ 1.250,00.

Dr. Gimenez afirmou que a Assembleia Legislativa vai atuar para regularizar a situação dos agentes comunitários de saúde contratados pelas prefeituras, em Mato Grosso. Para isso, a frente parlamentar vai se balizar em leis e emendas que já existem para regularizar a situação dos agentes comunitários de saúde.

“A frente parlamentar vai dar continuidade aos trabalhos realizados pelo ex-deputado Dr. Leonardo. Não há nada de novo. Ninguém vai querer reinventar nada. Vamos dar continuidade aos trabalhos já desenvolvidos pela Assembleia Legislativa, defendendo a entidade e a medicina preventiva”, explicou Gimenez.

Um dos imbróglios apontados pela categoria com o Tribunal de Contas do Estado (TCE) é a burocracia existente em relação à efetivação dos agentes de saúde. Segundo o deputado Lúdio Cabral, isso já existe há mais de 25 anos. “Hoje, os agentes de saúde não têm nenhum direito assegurado. Vamos trabalhar para melhorar o diálogo com os órgãos de controle e entre os agentes com o TCE-MT”, apontou o parlamentar.

Em seu requerimento, que pede a criação da frente parlamentar, Lúdio Cabral sugere debates sobre a abertura de cursos de formação profissional técnica, nos termos da Lei 13.595/2018, visando contemplar todos os 141 municípios mato-grossenses. A outra proposta do parlamentar é a realização de debates para discutir o alinhamento das leis municipais com as legislações federais e estaduais.

Regimento Interno - De acordo o Regimento Interno, a frente parlamentar é a associação suprapartidária, composta por, pelo menos, cinco membros do Poder Legislativo. Os deputados, em conjunto com representantes da sociedade civil e de órgãos públicos, realizam discussão e o aprimoramento da legislação e de políticas públicas para o estado. Cada deputado poderá participar de até cinco frentes, podendo ser coordenador de até três delas.


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Em quem você votaria hoje para prefeito de Cuiabá?

Pedro Taques
Blairo Maggi
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114