Cuiabá | MT 25/10/2021
Política MT
Sexta, 03 de setembro de 2021, 17h13

investimentos de R$ 100 milhões e compromisso de vencer a falta de água em Várzea Grande


 

.

Um encontro entre o prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat, acompanhado por todos os vereadores e o deputado federal Emanuel Pinheiro (PTB/MT), conheceu a proposta do parlamentar petebista de vender água de Cuiabá para Várzea Grande.

Estudos técnicos do Departamento de Água e Esgoto (DAE/VG) apontam para inviabilidade técnica e econômica para a proposta sugerida.

“É louvável a iniciativa do deputado Emanuel Pinheiro Neto, mas é necessário que as pessoas compreendam que existem problemas técnicos, legais e gerenciais a serem vencidos, pois estamos falando em venda de água que tem custo e obras enormes como uma nova adutora e mais intervenções na Avenida da FEB que já está toda penalizada pela paralisação de obras do Veículo Leve sobre Trilhos – VLT que está sendo trocado pelo BRT – Bus Rapid Transit”, disse Kalil Baracat.

Kalil Baracat lembrou que em 45 dias estará pronta e funcionando a nova ETA Grande Cristo Rei com capacidade de 320 litros por segundo ou 27 milhões de litros de água por dia e que atenderá a 72 bairros de toda a região, um prazo infinitamente menor do que a obra sugerida pelo parlamentar federal que seria de 120 dias e que reativaria a ETA Porto paralisada e obsoleta, pois, ofertará menos água do que a nova Estação.

O prefeito sinalizou ainda pelo lançamento em setembro das obras da ETA Chapéu do Sol de 250 litros por segundo ou 21,6 milhões de litros por dia que será executada pelo Governo do Estado em parceria com Várzea Grande e mais a ampliação da ETA Bonsucesso que é de 5 litros por segundo para 125 litros por segundo ou 10,8 milhões de litros por dia.

“Hoje produzimos 700 litros por segundo ou 60,4 milhões de litros de água por dia, mas de forma deficitária e sem regularidade nas ETAs existentes, com essas três novas Estações de Tratamento de Água – ETAs, vamos dobrar nossa capacidade, subindo em mais 695 litros por segundo ou 60 milhões de litros por dia, ou seja, 124 milhões de litros/dia de água potável, com isso, estaremos dobrando nossa capacidade e atendendo dentro do que estabelece a Organização Mundial de Saúde (OMS) a toda a população de 290 mil habitantes com mais de 150 litros de água por dia para cada uma das pessoas, um ganho acima de qualquer perspectiva”, disse Kalil Baracat.

O prefeito de Várzea Grande, sinalizou, no entanto, que não vai descartar nenhuma ajuda oferecida, inclusive agradecendo de público as emendas encaminhadas pelo deputado Emanuel Pinheiro Neto, “mas seria um contrassenso falar que Várzea Grande vai comprar água de Cuiabá, quando estamos investindo mais de R$ 100 milhões de dinheiro público para colocar um ponto final nesta história da falta de água em Várzea Grande, assim como acontece em diversas outras cidades de Mato Grosso e do Brasil por causa da estiagem e do consumo que cresceu em decorrência da COVID 19 que levou a milhares de pessoas a permanecerem mais tempo em casa e a consumirem mais água, mais energia, mais alimentos, enfim maior é o consumo das pessoas por causa da pandemia”, explicou.

Emanuel Pinheiro Neto assinalou que como representante popular e morador de Várzea Grande gostaria de contribuir na solução dos problemas da falta de água e viu na proposta de Cuiabá a possibilidade de pelo menos diminuir o sofrimento das pessoas pela falta de água.

“Sabemos que é uma oferta limitada para algumas regiões da cidade, mas de qualquer forma é uma sinalização, uma busca de minorar o sofrimento daqueles que estão sem água, independente de qualquer motivo”, disse o parlamentar acompanhando por Alexandro de Oliveira, presidente da ARSEC Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Cuiabá.

Emanuel Pinheiro Neto lembrou que muitas cidades em Mato Grosso têm enfrentado dificuldades no abastecimento de água e como Cuiabá tem água em excesso, vislumbrou a possibilidade de ofertar água para os moradores de Várzea Grande e para ajudar a atual administração a vencer as dificuldades encontradas neste momento de estiagem.

“Acredito na possibilidade de em conjunto criarmos soluções para contemplar a todos com água, agora é importante se levar em consideração se existe ou não viabilidade técnica para isto e o custo disto”, frisou o parlamentar petebista.

Kalil Baracat sinalizou que até 2024 vai acabar com os problemas da falta de água em Várzea Grande e que não faltará empenho, determinação, recursos públicos e apoio para que as medidas necessárias sejam adotadas visando virar a página deste problema que não é exclusivo de Várzea Grande, mas de muitas cidades do Brasil, inclusive de capitais e de cidades que já tem seus sistemas privatizados, com alto custo para os consumidores, mas ainda permanecem com problemas de abastecimento.

“Temos que ver que a estiagem leva a falta de água, mas também ao aumento no consumo de energia elétrica, que hoje representa a maior despesa do DAE. Todos os custos cresceram e em 2020 por causa da pandemia deixou-se de cobrar as contas de água o que elevou a inadimplência em mais de 60% no DAE, isto e uma série de outras questões acabaram afetando ainda mais o abastecimento de água, mas volto a repetir, que caminhamos a passos largos para mudar essa realidade e vamos mudar a mesma. Peço que as pessoas acreditem em nossos esforços para mudar este quadro e acreditem que iremos fazer o melhor para isto”, frisou o prefeito.

Atendendo ao pedido dos vereadores, Kalil Baracat autorizou que o DAE/VG juntamente com a ARSEC Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Cuiabá, faça estudos técnicos de viabilidade no pedido do deputado Emanuel Pinheiro Neto.




Busca



Enquete

Quem é o mais culpado pela não conclusão do VLT em Cuiabá?

Mauro Mendes quando prefeito de Cuiabá 2013/2017?
Emanuel Pinheiro quando deputado estadual 2010/2014?
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114