» mais
Comentar           Imprimir
Polícias
Sábado, 22 de junho de 2019, 06h11

Militares das Forças Armadas brasileiras viajam neste sábado para missão de paz da ONU no Congo


Treze militares das Forças Armadas brasileiras viajarão, neste sábado (22), para a República Democrática do Congo, a fim de participarem da MONUSCO (sigla em inglês), missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) naquela região. Os brasileiros foram chamados para aturem junto à Brigada de Intervenção (três batalhões composto por 3 mil militares da África do Sul, Tanzânia e Malaui), no combate aos grupos armados e às doenças tropicais.

.

Todos os militares passaram por cursos no Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), organização militar do Exército Brasileiro. Eles fizeram exames físicos e médicos no Rio de Janeiro e receberam instruções sobre as regras da ONU no Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB).

Missão pode ser prorrogada e até receber novo contingente

Para o Tenente-Coronel Adelmo de Sousa Carvalho Filho, que atualmente serve no Comando Militar do Norte, é uma oportunidade ímpar de o Brasil atuar na manutenção da paz na região. "Nosso maior objetivo é contribuir para o sucesso da missão. Queremos diminuir as atrocidades e mitigar o sofrimento do povo africano. Vamos tentar neutralizar os grupos armados", afirmou.

Não é a primeira vez que o oficial do Exército Brasileiro participa de missões de paz da ONU. Ele foi observador militar na Saara Ocidental e também trabalhou na Operação Acolhida. Agora, está na expectativa de representar bem o Brasil novamente. "Vou ser o chefe da equipe. Nossa missão deve ser de seis meses, mas pode ser prorrogada por mais seis meses. Pode ser que o Brasil envie até outro contingente. Trata-se de uma missão inédita da ONU", garantiu.

Já o Capitão-Tenente Fuzileiro Naval Raphael Baptista Mattos dos Anjos tem experiência em guerra na selva por ter servido durante quatro anos em Manaus. Ele também participou da Operação Acolhida, em Roraima, e foi escalado para Operações de Garantia da Lei e da Ordem, no Rio de Janeiro. Por isso, sente-se preparado para enfrentar a missão no Congo. "Vamos treinar a Brigada de Intervenção para combater os grupos armados e melhor proteger a população", explicou.

.

O militar da Marinha do Brasil ressaltou que a MONUSCO será importante para o progresso das Forças Armadas brasileiras. "É uma oportunidade única de fazer intercâmbio com outras Forças Armadas. Conhecer outras culturas e ambientes de selva que a gente só vê na televisão", destacou o militar que serve no Batalhão Tonelero, uma das organizações de tropas especiais da Força Naval.

Primeira missão da ONU

O Primeiro-Tenente Aramys Gonzaga Santos, da Força Aérea Brasileira, não vê a hora de participar da sua primeira missão de paz da ONU. "Espero que possa contribuir com a ONU. Acho que vou mais aprender do que ensinar alguma coisa. Sempre fui voluntário para esse tipo de trabalho. Tomara que seja só a primeira de outras missões", disse.

.

O Tenente Aramys serve atualmente na Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga-SP, onde se formou em 2012. Após intensa preparação, sente que está próximo de realizar o sonho de representar o Brasil no exterior. "Minha esposa é sargento da FAB. Então, compreende perfeitamente o meu trabalho. Minha mãe está receosa, mas também apoiou a minha decisão", contou o militar da Aeronáutica.  


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Em quem você votaria hoje para prefeito de Cuiabá?

Pedro Taques
Blairo Maggi
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114