» mais
Comentar           Imprimir
Mundo
Terça, 09 de janeiro de 2018, 19h07

Ucrânia: Cuidando de aldeões presos perto da frente de batalha em Opytne


Na vila de Opytne, no leste da Ucrânia, as pessoas vivem sem acesso a cuidados de saúde ou medicamentos essenciais. A vila na frente de batalha encontra-se no território controlado pelo governo da Ucrânia, em frente ao destruído Aeroporto de Donetsk, agora na autoproclamada República Popular de Donetsk.

Sem transporte e isolados pelo mau tempo, esses moradores mais idosos não têm escolha senão viver com o estresse constante do conflito na região. Os bombardeios nas proximidades geram ansiedade e depressão agudas, além de cortar o acesso a cuidados regulares para doenças crônicas, como doenças cardiovasculares, hipertensão e diabetes.

Em resposta, uma equipe de clínica móvel de Médicos Sem Fronteiras (MSF), composta por um médico, uma enfermeira e uma psicóloga, começou a fornecer cuidados de saúde primários e consultas psicológicas aos aldeões a partir de 14 de dezembro, usando a casa de um residente como base de operações.

"Sem acesso a um médico regular, os aldeões em Opytne praticam o autocuidado, medem a pressão sanguínea uns dos outros e se automedicam ", disse Myriam Berry, coordenadora de campo de MSF para a região de Donetsk (província). "Como não há nenhuma estrada, não há carros na aldeia e os moradores andam por vários quilômetros até chegar a Avdiivka [uma cidade próxima] através de um campo".

A equipe de MSF encontrou residentes que viviam em edifícios parcialmente destruídos e contou com organizações internacionais não-governamentais para a provisão de alimentos, aquecimento e eletricidade. Mas, apesar das condições, muitos residentes estão relutantes em deixar suas casas e fugir.

"A proximidade com a frente de batalha coloca a população sob estresse diário com o som próximo de bombardeios", disse Berry. "É, de longe, a pior situação de desespero que eu vi em nosso projeto desde que cheguei em maio de 2017. Dos dez pacientes que já avaliamos, metade tem a pressão arterial acima de 200, o que indica o estresse constante em que estão".

"Tínhamos tentado ter acesso à aldeia por dois meses após nossa avaliação inicial", disse Berry. Opytne só é acessível através de uma trilha estreita e poeirenta ao longo da frente de batalha, com outras entradas possivelmente minadas ou restritas a serem usadas pelos militares ucranianos. "Entre as questões de segurança e o mau tempo, que transforma a estrada em um lamaçal, temos que lutar para dar a volta por cima. Agora procuramos avaliar todos os residentes que necessitam de atenção médica e fornecer medicamentos que durarão dois meses, caso possamos ter problemas de acesso novamente".

MSF mantém clínicas móveis para aqueles que precisam de cuidados de saúde e apoio psicológico em 28 locais na região de Donetsk, com quatro equipes baseadas em Mariupol e Kurakhove. A maioria dos pacientes apoiados pelas clínicas móveis de MSF são mulheres com mais de 50 anos que sofrem de doenças crônicas.

Para enfrentar o efeito do conflito na saúde mental, os psicólogos de MSF realizam sessões de aconselhamento individual e em grupo, além de conscientização em saúde mental, oferecendo técnicas de enfrentamento para pessoas que vivem na área de conflito, além de professores e profissionais médicos.
 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

A onda 'não eleja parentes' pode afetar Emanuelzinho Pinheiro?

Afeta pois o pai prefeito Emanuel foi flagrado no caso do paletó furado.
Não afeta e segue separado dos problemas do pai
Tanto faz, o povo não não leva a sério o voto.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114