» mais
Comentar           Imprimir
Mundo
Segunda, 09 de abril de 2018, 17h25

Entidades dos EUA acusam YouTube, do Google, de coleta ilegal de dados pessoais de crianças


Mais de vinte associações americanas de defesa dos direitos digitais e de proteção à infância denunciaram nesta segunda-feira (9) o YouTube, do Google, à Comissão Federal de Comércio (FTC) por coleta e uso ilegal de dados de crianças para fins publicitários. As associações alegam que o Google coleta informações pessoais de menores de idade na rede social de vídeos, um site proibido para menores de 13 anos, como sua localização, o aparelho que utilizam para a conexão ou os números de telefones celulares sem informar previamente os pais.

"Há anos que o Google abandonou suas responsabilidades a respeito das crianças e suas famílias, afirmando de maneira enganosa que o YouTube, inundado de desenhos animados, canções infantis e publicidade de brinquedos, não está habilitado aos menores de 13 anos", afirmou em um comunicado Josh Golin, Campaign for a Commercial-Free Childhood (CCFC), uma das organizações denunciantes. "O Google obtém lucros gigantescos com a publicidade para crianças e deve respeitar a COPPA", destacou, referindo-se à lei de proteção da vida privada das crianças na Internet.

As práticas do Google, dizem as entidades, violariam essa lei de 1998, que "proíbe que um site destinado a crianças que saiba o que as crianças utilizam, colete ou utilize informações sem o acordo prévio dos pais". Um porta-voz do Google disse que a empresa ainda não teve acesso à denúncia, mas que proteger as crianças e suas famílias é uma prioridade do grupo. "Como o YouTube não é voltado para crianças, fizemos grandes investimentos para criar o aplicativo YouTube Kids, uma alternativa especialmente destinada às crianças" completou o porta-voz do Google.

Playground cheio de anúncios

O aplicativo voltado a crianças, entretanto, também enfrentou críticas recentemente, quando reportagens, umas delas da Business Insider, revelaram que YouTube Kids recomendava vídeos com base em teorias da conspiração e farsas. Entre elas estão ideias segundo as quais a chegada do homem à Lua foi uma farsa ou que o mundo é governado por seres híbridos metade humanos, metade répteis.

As associações afirma ainda que o YouTube é a plataforma online mais popular para crianças nos Estados Unidos, usada por cerca de 80% das crianças de seis a 12 anos de idade. Recentemente, o Google informou ter começado a contratar moderadores para revisar o conteúdo no YouTube de forma mais criteriosa, após críticas generalizadas de que a rede social permite – às vezes, até recomenda por meio de seu algoritmo – conteúdo violento e ofensivo.

A coalizão de entidades, entretanto, diz que isso não é suficiente. Jeff Chester, do Center for Digital Democracy, disse que o Google agiu “de forma dúbia alegando falsamente em seus termos de serviço que o YouTube é apenas para pessoas com 13 anos ou mais, enquanto deliberadamente atraiu jovens para um playground” digital cheio de anúncios. "Assim como o Facebook, o Google concentrou seus enormes recursos na geração de lucros em vez de proteger a privacidade".

ANJ


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Você concorda com uma candidatura do vice Niuan a deputado estadual?

Não - pois se Emanuel for cassado Cuiabá ficará sem prefeito.
Sim - pois é direito dele como político.
Tanto faz, Mauro Mendes também não teve vice.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114