Artigos

Infeliz o povo que depende de uma eleição
Amadeu Roberto Garrido de Paula
Nossa democracia tem solução - e não é intervenção
Fellipe Corrêa
Restaurar o futuro
Coriolano Xavier
Saúde e fake news
Luiz Evaristo Ricci Volpato
As Redes Sociais podem acabar?
João Alves Daltro
» mais
Comentar           Imprimir
Mundo
Domingo, 03 de junho de 2018, 15h34

Agências da ONU e Mianmar firmam acordo para retorno seguro de refugiados rohingya


A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e o governo de Mianmar assinarão na próxima semana um acordo que permitirá a repatriação voluntária e segura de cidadãos da etnia rohingya. Documento também autoriza os organismos a visitar o estado de Rakhine, incluindo locais de origem dos refugiados e áreas de potencial retorno onde a entrada de profissionais internacionais não havia sido liberada desde agosto de 2017.

Em comunicado divulgado nesta sexta-feira, o ACNUR informa que as circunstâncias em Mianmar ainda não são propícias à volta dos rohingyas que fugiram da onda de violência étnica no país asiático. Contudo, o termo de cooperação será “o primeiro passo” para apoiar os esforços do governo de Mianmar em mudar essa situação.

O memorando ainda não tem uma data confirmada para sua assinatura, embora a formalização já esteja marcada para a semana que vem.

O acesso ao território de Rakhine permitirá à agência da ONU avaliar as condições das comunidades. O ACNUR realizará atividades de proteção na região, fornecendo informações aos refugiados sobre seus locais de origem e ajudando-os a tomar decisões sobre o regresso com segurança e dignidade.

O acordo também possibilitará que o PNUD e o ACNUR fortaleçam as capacidades das autoridades locais para realizar os processos de repatriação voluntária.

A parceria entre os organismos das Nações Unidas e o governo de Mianmar vão ao encontro das recomendações da Comissão Consultiva do Estado de Rakhine. A entidade prescreve o estabelecimento de um caminho claro e voluntário para a cidadania, bem como a garantia da liberdade de circulação para todas as pessoas na região, independentemente de religião, etnia ou status de cidadania.

Outra orientação é de que os programas de desenvolvimento de meios de subsistência devem beneficiar todos os grupos em Rakhine.

O acordo do PNUD e do ACNUR faz parte de uma estratégia abrangente das agências para auxiliar o Estado de Mianmar na transição rumo a um futuro pacífico, justo e próspero para todas as pessoas.


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Você concorda com uma candidatura do vice Niuan a deputado estadual?

Não - pois se Emanuel for cassado Cuiabá ficará sem prefeito.
Sim - pois é direito dele como político.
Tanto faz, Mauro Mendes também não teve vice.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114