» mais
Comentar           Imprimir
Mundo
Segunda, 08 de outubro de 2018, 06h35

ONU promove atividades esportivas em comunidades que recebem refugiados no México


“Aquele que espera se desespera. Quem se desespera não alcança. Por isso, é bom esperar e não perder a esperança”, ressoa a velha canção popular.

Em situação de espera estão 467 mulheres, homens, meninas, meninos e adolescentes provenientes de Honduras, El Salvador, Guatemala e Nicarágua que aguardam há meses no estado mexicano de Veracruz a resposta do governo aos seus pedidos de refúgio.

O sul de Veracruz, principalmente os municípios de Acayucan e Oluta, tornou-se um ponto estratégico para refugiados e solicitantes de refúgio devido à proximidade com a estação migratória de Acayucan e ao escritório da Comissão de Assistência aos Refugiados (COMAR).

Como estratégia para reduzir a ansiedade provocada pelo longo tempo de espera, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), junto a governos locais e organizações da sociedade civil como “The Ret”, promovem atividades esportivas direcionadas sobretudo a meninas, meninos e adolescentes.

Por meio da prática esportiva, se promove a convivência e a integração com as comunidades de acolhimento, uma vez que as atividades são abertas a todos.

Neste sentido, o ACNUR, em conjunto com o Comitê Olímpico Internacional e o Município de Acayucan, contribuíram para melhorar as instalações elétricas do Complexo Esportivo de El Greco e inauguraram uma piscina semi-olímpica em junho de 2018.

Na piscina, são dadas aulas de natação a 400 meninas, meninos e adolescentes e aproximadamente 800 pessoas desfrutam das instalações esportivas por mês.

“The Ret” também promove treinos de futebol três vezes por semana em Oluta. Participam das atividades 100 pessoas, entre mexicanos, refugiados e solicitantes de refúgio.

O mesmo acontece duas vezes por semana em Acayucan, envolvendo cerca de 200 pessoas. Os solicitantes de refúgio, junto aos jovens mexicanos, formaram um time de futebol, que já participou de torneios locais.

Outra atividade praticada na região é o ciclismo. Em Oluta, uma corrida foi realizada no início de agosto com 35 jovens locais e solicitantes de refúgio.

A princípio, os recém-chegados não queriam participar, porque não tinham bicicletas. Mas logo a solidariedade local falou mais alto e eles tomaram veículos emprestados. De acordo com Martín Valentín, promotor de atividades do “The Ret“, os solicitantes de refúgio ficaram tão motivados que até chegaram em primeiro lugar na disputa.

Finalmente, para continuar promovendo atividades esportivas que promovem a esperança entre refugiados e solicitantes de refúgio, o ACNUR, junto com o Comitê Olímpico Internacional e o Município de Acayucan, melhorará as instalações de outro campo esportivo conhecido como La Malinche.

Serão instaladas arquibancadas e o campo será iluminado para que as pessoas possam se sentar e torcer pelos times durante os jogos de futebol. Espera-se que este projeto beneficie mais de 3 mil pessoas, incluindo mexicanos, refugiados e solicitantes de refúgio.

 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Sobre taxação do agronegócio em MT, o que você sugere?

Não deve ser taxado e fica como está.
Muda o discurso e industrialize
Apenas fogo de palha. Logo se acertam.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114