» mais
Comentar           Imprimir
Mundo
Quinta, 08 de novembro de 2018, 18h35

Iêmen: MSF recebe grande fluxo de feridos de guerra com a intensificação da violência


Ao passo que o conflito se intensifica em várias frentes de batalha em todo o Iêmen, um influxo de pessoas com ferimentos relacionados à guerra são recebidas e tratadas em instalações mantidas pela organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) nas províncias de Hodeidah, Hajjah, Aden, Saada e Taiz.

Em Hodeidah, uma grande ofensiva foi lançada em 1º de novembro pelas forças leais ao presidente Hadi, apoiadas pela coalizão liderada pela Arábia Saudita e pelos Emirados Árabes Unidos, contra as tropas da Ansar Allah. Combates terrestres e bombardeios aéreos estão ameaçando a vida de milhares de civis.

Entre 1 e 6 de novembro, equipes de MSF em Hodeidah trataram 24 civis feridos de guerra no hospital de Al Salakhana, incluindo cinco mulheres e nove crianças. Desses pacientes, 17 tinham ferimentos causados por explosão e um tinha ferimento por arma de fogo.

No mesmo período, outros 50 feridos de guerra foram tratados no hospital cirúrgico de MSF em Mocha, 180 km ao sul de Hodeidah, a maioria ferida por explosões e tiros. Dentre eles haviam três mulheres e oito crianças.

Esse aumento acompanha uma intensificação dos conflitos terrestres e bombardeios aéreos em Hodeidah desde a última quinta-feira. “Uma ofensiva mais forte das forças lideradas pela Arábia Saudita e pelos Emirados Árabes foi lançada com o destacamento de tropas terrestres. Eles se movimentaram rapidamente pela cidade”, diz Frederic Bertrand, coordenador-geral de MSF no Iêmen. "Isso aumenta o temor de um cerco que pode afetar as dezenas de milhares de pessoas que ainda vivem em Hodeidah".

"Todos os dias ouvimos o som de ataques aéreos em massa e disparos na cidade", diz Bertrand. “Na segunda-feira à tarde [5 de novembro], os conflitos terrestres ocorreram perto do hospital Al Salakhana e da casa de MSF. Nossas equipes tiveram que ficar dentro do hospital para sua própria segurança”.

Movimentos de civis deixando Hodeidah foram reportados no último fim de semana, mas é difícil avaliar quantos já deixaram a cidade. "Outros civis estão supostamente presos dentro da cidade por causa dos combates terrestres e ataques aéreos."

Uma campanha de ataques aéreos em massa realizada pela coalizão saudita está em andamento em várias áreas do país. Somente na noite de 5 de novembro, equipes de MSF receberam 16 feridos de guerra em Abs e 18 em Hajjah, após a intensificação dos combates nas frentes de batalha próximas.

Ataques aéreos diários também estão em andamento no distrito de Haydan, na província de Saada – a região mais fortemente bombardeada desde que o conflito se intensificou em março de 2015. MSF trabalha no hospital de Haydan, que foi atingido por um ataque aéreo da coalizão saudita há três anos.

Equipes de MSF também estão vendo um número crescente de pacientes feridos de guerra de Hodeidah e Taiz no hospital de traumas de MSF em Aden. Entre 1 e 6 de novembro, 16 feridos de guerra foram tratados no hospital de Aden. Todos os 16 vieram de Hodeidah, a seis horas de carro de Aden, para ter acesso aos cuidados cirúrgicos necessários.

Com a intensificação dos conflitos em Hodeidah e em outras partes do país, MSF está extremamente preocupada com pacientes e profissionais em seus centros de saúde, bem como com as milhares de pessoas que vivem perto das frentes de batalha. Todas as partes do conflito devem garantir que civis e instalações civis, como hospitais, sejam protegidos no Iêmen.
 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

O futuro político de Pedro Taques será:

Candidato a prefeito de Cuiabá em 2020
Voltar a operar na área de Direito
Não me interessa, problema dele.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114