» mais
Comentar           Imprimir
Mundo
Sexta, 08 de março de 2019, 10h23

Guaidó pede que Alemanha reconheça seu representante no país


Daniel Tapia/Reuters

O líder oposicionista venezuelano, Juan Guaidó, pediu à Alemanha que reconheça Otto Gebauer como embaixador em Berlim do autoproclamado governo interino da Venezuela. O pedido foi feito em meio à tensão diplomática gerada com a expulsão do representante alemão de Caracas.

O Ministério do Exterior alemão confirmou nessa quinta-feira (7) a solicitação feita por Guaidó e afirmou que pretende entrar em contato com Gebauer. O indicado é um ex-militar que esteve envolvido numa tentativa de golpe de Estado contra o antecessor de Nicolás Maduro, Hugo Chávez, em 2002.

Apesar de o governo alemão não reconhecer mais Maduro como presidente legítimo da Venezuela, o indicado pelo governo venezuelano como embaixador em Berlim, Ramon Orlando Maniglia Ferreira, ainda não foi destituído. "No momento, não conduzimos conversas políticas com o embaixador", destacou, no entanto, o Ministério do Exterior alemão.

Já o embaixador alemão em Caracas, Daniel Kriener, foi expulso do país. O governo de Maduro alegou "recorrentes atos de ingerência em assuntos internos do país" para justificar a decisão. A Alemanha afirmou que a medida não mudara seu apoio a Guaidó.

O embaixador alemão compareceu na última segunda-feira, junto com outros diplomatas, ao Aeroporto Internacional Simón Bolívar, em Caracas, para receber o líder da oposição e autoproclamado presidente interino do país, Juan Guaidó, e apoiá-lo caso houvesse uma tentativa de detê-lo.

Reconhecido por mais de 50 nações como presidente interino da Venezuela, Guaidó, de 35 anos, encerrou no Equador uma turnê pela América Latina que incluiu ainda Colômbia, Paraguai, Argentina e Brasil, onde se encontrou com o presidente Jair Bolsonaro.

No poder desde 2013, Maduro foi reeleito em maio passado em eleições não reconhecida por boa parte da comunidade internacional e que não contaram com a participação da oposição.

Em 23 de janeiro, Guaidó recorreu à Constituição venezuelana para argumentar que, como chefe do Parlamento, tem autoridade para se autodeclarar presidente interino ao considerar que Maduro está "usurpando" a Presidência.

A Alemanha anunciou reconhecer Guaidó como presidente interino da Venezuela no início de fevereiro, junto com vários países europeus – entre eles a França, Espanha e o Reino Unido. Os governos europeus encarregaram o líder da oposição de convocar novas eleições presidenciais credíveis.

ABr


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Em quem você votaria hoje para prefeito de Cuiabá?

Pedro Taques
Blairo Maggi
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114