Artigos

Infeliz o povo que depende de uma eleição
Amadeu Roberto Garrido de Paula
Nossa democracia tem solução - e não é intervenção
Fellipe Corrêa
Restaurar o futuro
Coriolano Xavier
Saúde e fake news
Luiz Evaristo Ricci Volpato
As Redes Sociais podem acabar?
João Alves Daltro
» mais
Comentar           Imprimir
Saúde
Quarta, 07 de fevereiro de 2018, 20h07

Reforma de cozinha melhora qualidade do atendimento em Hospital Regional


Refeição de hospital, em geral, não é vista com “bons olhos” pelos pacientes. Mas no Hospital Regional Irmã Elza Giovanella, em Rondonópolis, a realidade agora é outra com a reforma da cozinha e a entrada em campo de uma equipe de nutricionistas, responsável pela elaboração de refeições saborosas. Esta é uma das melhorias implantadas pelo Instituto Gerir, que assumiu em 1º de outubro a administração do hospital de forma emergencial por um período de seis meses.

Valdomiro Sousa Lima, de 55 anos, passou por uma cirurgia e está tendo que fazer uma dieta rigorosa, mas não está sentindo falta das refeições de casa. “A comida aqui é bem parecida com a que a minha esposa faz, e tem muita variedade, além de que tudo é servido dentro do horário, ai não dá nem para sentir fome. E o atendimento e o cuidado com nós, pacientes, é como se fosse da família mesmo”, conta.

E quem acompanha os pacientes também recebe as refeições do hospital. Alana Bergoli de Chaves está acompanhando o pai, que sofreu um acidente de carreta, e garante que as refeições são de alta qualidade. “Estou revezando com a minha mãe aqui no hospital e todas as vezes que comi percebi a qualidade da alimentação”.

A responsável técnica pela empresa que fornece as refeições para o hospital, Soraya Portela Gomes Paim, conta que a alimentação é equilibrada e atende todos os pacientes. “Hoje servimos seis refeições, diariamente, para mais de quatrocentas pessoas entre pacientes e colaboradores. O cuidado com a alimentação desde a seleção dos fornecedores até a distribuição e a satisfação de quem recebe nossos alimentos nos motiva a fazer cada dia melhor”, destaca.

Soraya é responsável por coordenar a equipe que hoje é composta por quarenta e uma pessoas, que trabalham em turnos de 12 por 36. “Eu trabalho aqui desde a outra gestão e via muitos funcionários e até pacientes trazendo comida de casa porque não gostavam da que tinha aqui. O espaço hoje é melhor, mais aconchegante, antes era servida pouca variedade, e água era de bebedouro mesmo. Servimos água mineral, suco de polpa, lanches diferenciados. São seis refeições diariamente, café, lanche, almoço, merenda, jantar e ceia, sempre variando bem o cardápio para atender o gosto e as necessidades de cada paciente”.

A auxiliar administrativa Amanda Gracielli Serafim trabalha há cerca de um ano no hospital e comemora as mudanças. “Antes tínhamos pouca variedade, era apenas pão com manteiga e bolachas no café. Hoje temos frutas no nosso cardápio, suco natural e, no almoço, uma variedade de verduras, legumes e carnes. Uma realidade muito boa para pessoas que, como eu, fazem boa parte das refeições aqui no Hospital. E as meninas da cozinha estão sempre com um sorriso no rosto e dispostas a servir qualquer paladar.”

Além da melhoria na qualidade das refeições, a cozinha e o refeitório passaram por uma reforma. Foram instaladas novas mesas, cadeiras, e balcões de buffet para alimentos quentes e frios no modelo self-service, além de novas louças, panelas, bandejas, talheres, pratos, xícaras e utensílios de cozinha.

Novas nutricionistas também entraram para a equipe. Bianca Lima é a nutricionista clínica do Hospital e acredita que as mudanças chegaram para somar. “Sempre pergunto para os pacientes o que eles gostariam de comer, eles pedem, e tentamos fazer de acordo com o quadro clínico de cada um. A cozinha está sempre aberta a desafios, seja para fazer um manjar a um diabético ou uma pamonha, não importa o desafio, estamos sempre à disposição”.


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Você concorda com uma candidatura do vice Niuan a deputado estadual?

Não - pois se Emanuel for cassado Cuiabá ficará sem prefeito.
Sim - pois é direito dele como político.
Tanto faz, Mauro Mendes também não teve vice.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114