» mais
Comentar           Imprimir
Saúde
Quarta, 11 de julho de 2018, 06h01

Projeto Rede Cidade da Saúde apoia SES/MT na gestão de medicamentos


Visita técnica de especialistas do UNOPS ao Hospital Regional de Sinop. Crédito: UNOPS

O Projeto Rede Cidade da Saúde (RCS) finaliza o primeiro semestre de 2018 com a entrega de informações que permitem planejar os investimentos nas áreas que mais necessitam e melhoras na gestão da área de abastecimento de medicamentos. O gerente do projeto pelo UNOPS, Marcelo Pérez, destaca que a equipe desta cooperação técnica entre o Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projeto (UNOPS) e a Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (SES/MT) vem trabalhando para apoiar a SES/MT a aumentar a entrega de cuidado à saúde no estado. O Especialista em Assistência Farmacêutica e líder do Resultado 1, Suetônio Queiroz, explica que o projeto apontou alternativas gerenciais e assistenciais para os serviços hospitalares e de assistência farmacêutica reconhecidamente os responsáveis pelos maiores impactos orçamentários, financeiros e assistenciais da Saúde em Mato Grosso.

 

.

*Mapa das Necessidades em Saúde*

Desde o final do ano passado, a equipe do projeto produziu relatórios que apresentam a caracterização demográfica, socioeconômica, sociossanitária e epidemiológica do estado e, especificamente, das regiões* Araguaia Xingu, Baixada Cuiabana, Noroeste Mato-grossense e Sudoeste Mato-grossense; além de análise da oferta e da demanda hospitalar dessas quatro regiões e um diagnóstico de viabilidade orçamentária do estado para investimentos em saúde.

As informações, que podem ser usadas pela secretaria no planejamento de suas ações, podem ser disponibilizadas pelo Núcleo de Gestão para Resultados (NGER), do qual o projeto faz parte. Ainda com o objetivo de conhecer a situação de saúde para propor soluções, foram realizadas visitas técnicas aos 11 hospitais sob gestão da SES/MT, cujas informações foram utilizadas para realização de relatório geral e primário sobre a situação das unidades. Os relatórios específicos de cada uma das unidades estão em fase de entrega, sendo disponibilizados para a secretaria até o mês de agosto.

*Propostas de soluções*

A partir do trabalho de coleta de dados e dos relatórios entregues, foram elaboradas estratégias de cuidado em saúde alinhadas às especificidades do território, sendo uma proposta de organização da rede assistencial e um Plano de Investimentos para os hospitais do estado. A primeira propõe, como solução para Mato Grosso, cujo território é grande e há áreas pouco populosas e com difícil acesso aos grandes centros, a criação de um Centro de Diagnóstico, em Cuiabá, interligado por telemedicina às unidades de saúde do interior.

Assim, se evitaria a necessidade de deslocamento para a realização de diagnósticos, facilitando o acesso ao tratamento e contribuindo para a resolutividade dos casos. O material produzido pela equipe do Projeto Rede Cidade da Saúde inclui recomendação de modelo alternativo de financiamento para o centro e estimativa de custos.

Já o Plano de Investimentos aponta as necessidades dos hospitais sob gestão da SES/MT nas áreas de infraestrutura, equipamentos médico-hospitalares, utensílios de cozinha e enxoval hospitalar e mostra o custo de resolução dessas necessidades. Este plano apresenta diferentes cenários, desde o ideal, em que se resolveriam todas as necessidades, ao urgente, cujo enfoque são necessidades que impactam diretamente o atendimento dos pacientes. Assim, a secretaria tem uma ferramenta para planejar seus investimentos em curto e longo prazo.

*Soluções em gestão e fortalecimento da SES/MT*

No que se refere ao apoio à gestão da secretaria, a equipe do Projeto Rede Cidade da Saúde vem atuando nas questões referentes ao abastecimento de medicamentos. Em apenas 6 meses, se contribuiu para que a SES/MT pudesse informatizar os serviços farmacêuticos sob gestão estadual, como a central de abastecimento e principalmente cadastrando de mais de 23 mil usuários na Farmácia, o que permite uma gestão de estoques mais eficiente e qualifica a assistência à saúde. Para isso, foi realizado diagnóstico situacional da Superintendência de Assistência Farmacêutica e mapa dos processos da área, que permitiu apontar recomendações para áreas de gestão e assistência, além de apoio a implementação de mudança de práticas gerenciais e assistenciais, relacionadas a implementação aos processos para a utilização do Sistema Hórus e dos Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas na Farmácia de Alto Custo (Programa do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica), na Central Estadual de Abastecimento de Insumos de Saúde (Ceadis) e nas clínicas de hemodiálises.

“O UNOPS trouxe para a SES tudo o que a SES precisava”, afirma Siriana Maria da Silva, secretária-adjunta das Unidades Especializadas da secretaria. Ela explica que o Projeto RCS fez um diagnóstico da situação e contribuiu para a melhora de processos de trabalho. Além disso, na área de Assistência Farmacêutica, teve um trabalho bem próximo dos técnicos. Ela diz ainda que a equipe de trabalho do UNOPS foi capaz de traduzir a realidade da secretaria o que permitiu assessorá-la melhor.

*Gestão e fortalecimento da SES/MT*

Implantação do Sistema Nacional de Gestão da Assistência Farmacêutica (Hórus) em 6 meses (dez/17-maio/18) nas unidades do Complexo CEADIS/SAF, Farmácia de Atendimento ao CEAF, Escritórios Regionais, Unidades Desconcentradas, SAMU, Clínicas de Hemodiálise, CIAP Adauto Botelho.

Implantação de rotinas para gestão dos processos de abastecimento e compras de medicamentos do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (Ceaf) (Grupo 1A, 1B e 2) e Protocolos Estaduais (Portaria SES/MT 139).

*Panorama*

Com o objetivo de que o processo de abastecimento de medicamentos funcione de maneira mais efetiva, entregando serviços com melhor qualidade e utilizando menos recursos, está em andamento o mapeamento de processos de compras da SAF, que envolve outras áreas da secretaria, como jurídico, setor de compras e financeiro. A Especialista em Desenho de Processos Organizacionais, Alessandra Menezes, ressalta que o trabalho do UNOPS está enfocado em “se inserir nas ações que já estão sendo realizadas pela secretaria para agregar e contribuir”.

Serão entregues para a secretaria o mapa de contextos, que explica como a cadeia de valor se estrutura e o fluxograma do processo de abastecimento. Este tipo de técnica é utilizado para que as organizações tenham conhecimento de seus processos e como estes funcionam na relação entre as diferentes áreas. Este conhecimento é útil para indicar se há problemas nos processos, além de torná-los mais eficientes.

“O UNOPS trouxe para a SES tudo o que a SES precisava”, afirma Siriana Maria da Silva, secretária-adjunta das Unidades Especializadas da secretaria. Ela explica que o Projeto RCS fez um diagnóstico da situação e contribuiu para a melhora de processos de trabalho. Além disso, na área de Assistência Farmacêutica, teve um trabalho bem próximo dos técnicos. Ela diz ainda que a equipe de trabalho do UNOPS foi capaz de traduzir a realidade da secretaria o que permitiu assessorá-la melhor.

*As regiões foram definidas pela SES/MT na construção deste projeto. 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

A onda 'não eleja parentes' pode afetar Emanuelzinho Pinheiro?

Afeta pois o pai prefeito Emanuel foi flagrado no caso do paletó furado.
Não afeta e segue separado dos problemas do pai
Tanto faz, o povo não não leva a sério o voto.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114