» mais
Comentar           Imprimir
Saúde
Sexta, 11 de janeiro de 2019, 20h01

Secretaria e socorristas definem acordo e SAMU mantém atendimento


 O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, e os médicos que prestam serviços ao Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) do Estado entraram em acordo, conforme comunicado divulgado agora há pouco no site do Governo. 

Na reunião, finalizada na noite desta sexta-feira (11.01), ficou definida uma contratação emergencial dos profissionais, diretamente pela secretaria. Os serviços serão imediatamente retomados ainda hoje.

Fatos anteriores

Sete dias após assumir o governo de Mato Grosso, a atual gestão recebeu protesto de um grupo de 60 médicos, ligado ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que denunciou a há seis meses estava com salários atrasados, o que estava motivando o desligamento dos profissionais do quadro do Samu no estado - que ocorreria de forma gradual. 

 

Na semana passada Gilberto Figueiredo (veja aqui)  contratou em caráter emergencial a empresa Med Security Serviços Médicos EPP para gerir os serviços do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) em Mato Grosso por um período de seis meses, no valor de R$ 2,8 milhões.

Por mês, isso resultará em uma economia de R$ 114.855,00 e, em seis meses, R$ 689.130,00. O valor estabelecido no contrato é inferior ao praticado atualmente, representando economia aos cofres públicos.

Isso porque a antiga gestão da secretaria deixou de efetuar os pagamentos para a empresa que até então realizava o atendimento móvel de urgência. Consequentemente, a empresa também não remunerou os cerca de 60 médicos contratados, que estão há meses sem receber. A situação provocou uma discussão jurídica entre as empresas que disputam a licitação cujo objeto é a prestação deste serviço.

Figueiredo garantiu ainda que os médicos que prestaram os serviços à empresa anterior serão devidamente remunerados.

O novo contrato trará redução de despesas ao Poder Público: o valor do plantão, que até então custava R$ 1.480,00, passa a ser oferecido por R$ 1.195,00. Por mês, isso resultará em uma economia de R$ 114.855,00 e, em seis meses, R$ 689.130,00.

Mesmo a um custo menor, os serviços oferecidos serão ampliados. De 316, os plantões mensais oferecidos passam a ser 403, um ganho de 27,5%. 

 

 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Em quem você votaria hoje para prefeito de Cuiabá?

Pedro Taques
Blairo Maggi
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114