» mais
Comentar           Imprimir
Agro
Quinta, 23 de maio de 2019, 18h14

Biosul e Embrapa assinam termo de cooperação para novas pesquisas de combate à mosca-dos-estábulos


Entidades vão buscar alternativas eficientes para contenção do parasita por meio de armadilhas; o objetivo é reduzir riscos de infestações e minimizar os impactos nas áreas de criação de bovinos próximas às lavouras de cana-de-açúcar


Por meio de um Termo de Cooperação a Biosul (Associação de Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul) e a Embrapa Gado de Corte, Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuária (Embrapa) formalizaram acordo para desenvolver novas pesquisas sobre formas de combate à mosca-dos-estábulos, Stomoxys calcitrans.

A parceria vai permitir avanço nas pesquisas que buscam soluções eficientes em armadilhas para controle da mosca-dos-estábulos. O objetivo é reduzir a ocorrência de infestações e minimizar os impactos do parasita nas áreas de criação de bovinos próximas às lavouras de cana-de-açúcar.

Para o gerente executivo da Biosul, Érico Paredes, que representou o presidente da Associação na solenidade de assinatura do termo, se trata da formalização de um trabalho que é feito há dez anos. “O setor sucroenergético de Mato Grosso do Sul tem essa atenção com o tema desde os primeiros surtos que ocorreram em 2008 próximos às áreas de cana-de-açúcar, abrimos as portas para a pesquisa para então entendermos o surgimento de surtos da mosca. Desde então, trabalhamos em conjunto com todas as Associadas, entidades do setor da pecuária e pesquisadores para buscar formas de minimizar os impactos dessa praga que é enfrentada em todo o País”, destacou.

O contrato, para o chefe-geral interino da Embrapa Gado de Corte (Campo Grande-MS), Ronney Mamede, vai permitir a continuidade do trabalho feito nos últimos anos pelas entidades envolvidas e representa um ganho para todo o segmento agropecuário do País. “É a primeira vez que formalizamos o termo de cooperação, com grande expectativa para que possamos continuar trabalhando juntos e intensificar essas ações visando o controle e manejo da mosca-dos-estábulos, não apenas na nossa região, mas também com o propósito de levar esse conhecimento para outras regiões do País que têm enfrentado problemas com o inseto”, afirmou.

De acordo com o Termo de Cooperação, as pesquisas serão realizadas durante o período de 12 meses, podendo o acordo ser renovado.

Avanço nas pesquisas
Os médicos-veterinários da Embrapa Paulo Cançado e Thadeu Barros serão os pesquisadores responsáveis pelas pesquisas. Segundo Paulo Cançado, o termo de cooperação é a continuidade das pesquisas realizadas nos últimos anos e que agora buscará mais intensivamente alternativas de contenção da mosca afim de evitar novos surtos.

O pesquisador relembra o início dos estudos sobre mosca-dos-estábulos em Mato Grosso do Sul. “Quando ocorreram os primeiros surtos [2008] foi muito crítico porque não tínhamos informações alguma sobre a mosca. Passamos a estudar e entender como era o parasita e a partir de então traçamos as primeiras estratégias de manejo da mosca-dos-estábulos. Desde o início contamos com a colaboração da Biosul e suas associadas e isso contribuiu para conseguirmos levantar os dados necessários a partir de visitas técnicas em áreas de cana-de-açúcar”, comentou.

O primeiro projeto científico sobre o tema teve início em 2011 no Estado. “Os primeiros estudos ainda não eram sobre controle da mosca, mas sim levantamento de informações para conhecermos o comportamento do parasita. Com essas informações fizemos um importante trabalho de divulgação e conscientização com as usinas, pecuaristas e autoridades locais”, relatou Cançado. A partir de então, o Estado se tornou protagonista nos estudos e metodologias de prevenção e combate à mosca-dos-estábulos.

Agora, com o termo de cooperação, o pesquisador acredita que será mais um importante passo no campo científico. “Teremos uma melhor estrutura para o desenvolvimento das pesquisas e a nossa intenção, além de desenvolver armadilhas, é chegar à novas descobertas sobre a mosca-dos-estábulos que contribuam de fato para reduzir os impactos nas atividades de cana e pecuária”, completou o pesquisador. 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Em quem você votaria hoje para prefeito de Cuiabá?

Pedro Taques
Blairo Maggi
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114