» mais
Comentar           Imprimir
Agro
Sábado, 20 de julho de 2019, 02h33

Milho biofortificado é opção para programa de sementes no Ceará


 

.


Em sua edição mais recente, de 2018/2019, o programa Hora de Plantar, do Governo do Ceará, distribuiu sementes e mudas com elevado potencial genético para mais de 150 mil produtores no estado. A Embrapa tem papel importante nessa iniciativa, haja vista que 75% das sementes de milho ofertadas pelo programa são oriundos de materiais genéticos da Empresa. Foram entregues 2,2 milhões de toneladas de sementes de milho híbrido e 408 toneladas de sementes de milho variedade no período. Essa parceria, que já está rendendo frutos, tende a se fortalecer com a chegada da cultivar de milho biofortificado BRS 4104.

A variedade foi apresentada oficialmente a técnicos e produtores do Ceará no final de junho durante o seminário "Milho e outras culturas biofortificadas: opções nutritivas e viáveis para o Nordeste”, realizado no Centro de Treinamento em Extensão Rural da Empresa de Assistência Técnica do Ceará (Ematerce), no município de Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

Em sua fala inicial, o engenheiro agrônomo Marcos Vinícius Assunção, da Coordenadoria de Desenvolvimento da Agricultura Familiar (Codaf), órgão pertencente à Secretaria de Desenvolvimento Agrário do Ceará (SDA), ressaltou a importância da Embrapa no programa e solicitou que a BRS 4104 passasse a ser incluída no Hora de Plantar, abrindo a possibilidade de, a partir do próximo ano, a variedade já estar nos campos cearenses.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Agrário do Estado do Ceará (SDA), Francisco de Assis Diniz, a Embrapa atua como “um guia e um farol” para as atividades desenvolvidas pela pasta. “Essa parceria nos consolida dentro do programa Hora de Plantar. Queremos fazer uma inovação, fortalecendo o desenvolvimento das cadeias produtivas. A agricultura familiar não pode ser percebida unicamente como atividade de subsistência e nem como alvo de assistência social. Temos de ter a porta de saída da comercialização”, afirma.

O seminário foi aberto com a palestra do pesquisador José Luiz Viana de Carvalho, da Embrapa Agroindústria de Alimentos (Rio de Janeiro-RJ), sobre o Projeto BioFORT. O especialista chamou atenção para o fenômeno da "fome oculta", em que a pessoa se alimenta, mas não se nutre. Trata-se de um problema mundial que atinge cerca de um terço da população. No Brasil, estados como Maranhão e Sergipe apresentam áreas com deficiência elevada nutricional em crianças de até cinco anos. "O projeto global de biofortificação de culturas agrícolas surgiu a partir da necessidade de solução para o problema da deficiência de micronutrientes essenciais como zinco, ferro e vitamina A na população. Busca-se não só atuar no lançamento de novas variedades, mas sim atender toda a cadeia produtiva", explica.

Na sequência, a cientista de alimentos Maria Cristina Dias Paes, da Embrapa Milho e Sorgo, apresentou as características nutricionais da nova cultivar e o processo de pesquisa e desenvolvimento envolvido na biofortificação. A seguir, o pesquisador Paulo Evaristo de Oliveira Guimarães, também da Embrapa Milho e Sorgo, abordou os aspectos de melhoramento de plantas específicos na criação do milho biofortificado e as características agronômicas do cultivar da Embrapa.

Em sua palestra, Dias Paes destacou a vantagem nutricional e os resultados do processamento industrial da BRS 4104. Nessa variedade mais nutritiva de milho, a concentração de pró-vitamina A é de 2,5 a 3,2 vezes maior do que os valores encontrados em média no milho comum. As reduções dos precursores de vitamina A do milho biofortificado durante a fabricação e o armazenamento de farinhas e da canjica, e o preparo de produtos como cuscuz, são mínimas. Além disso, como os derivados deste material apresentam uma cor amarela mais intensa, há tendência de influenciar positivamente o consumidor no momento da compra.

O manejo do BRS 4104 em diferentes condições de solo e clima, nos estados do Piauí e do Maranhão, foi abordado pelos analistas Carlos Martins Santiago, da Embrapa Cocais (São Luís-MA), e Adão Cabral das Neves, da Embrapa Meio-Norte (Teresina-PI).

Biofortificação e Milho BRS 4104

No Brasil, as atividades de biofortificação são coordenadas pelo projeto BioFORT, liderado pela Embrapa, com o propósito de garantir maior segurança alimentar, por meio do aumento dos minerais ferro e zinco, assim como da vitamina A na forma dos carotenoides precursores, em alimentos básicos da população brasileira.


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Em quem você votaria hoje para prefeito de Cuiabá?

Pedro Taques
Blairo Maggi
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114