» mais
Comentar           Imprimir
Interior de MT
Segunda, 11 de dezembro de 2017, 12h02

Alunos e professores de Aripuanã se unem para reinventar espaços escolares


.

Em seu terceiro ano consecutivo em Aripuanã, no Noroeste de Mato Grosso, o programa Parceria Votorantim pela Educação (PVE) encerra as atividades de 2017 com o envolvimento de mais de seis mil pessoas, entre profissionais da educação, alunos, pais e comunidade. O encerramento, realizado no dia 6 de dezembro no Centro de Educação Dardanelos contou com a premiação do projeto “Praça Ecológica”, da Escola Municipal José de Alencar, da comunidade rural Projeto Lontra, sendo o destaque municipal do Desafio Criativos da Escola. A programação contou com a mostra dos projetos finalistas, além de atrações culturais. No total sete projetos estavam concorrendo ao destaque municipal.

Uma iniciativa realizada pelo Instituto Votorantim desde 2009 nos municípios em que a empresa se faz presente, o PVE tem o apoio das empresas do Grupo Votorantim, em parceria com a Comunidade Educativa (Cedac). Em Aripuanã, o programa é promovido pela Nexa Resources (ex-Votorantim Metais) em parceria com a Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Semec). Em 2017, a temática escolhida no município foi “O espaço escolar como ambiente de aprendizagem”. A abordagem foi definida pela Semec para aumentar a capacidade das escolas de despertarem o interesse dos alunos e combater a evasão escolar. O objetivo principal do programa é contribuir para a aprendizagem e mobilizar a comunidade a entender a importância da sua participação na vida escolar.

Segundo a supervisora pedagógica da Semec, Gema de Lurdes Galvan, o PVE tem estimulado a criação de espaços atrativos nas escolas de Aripuanã. Na avaliação dela, essa dinâmica foi possível graças à interação entre escola e comunidade. “São crescentes os resultados e, para que eles existam, as ações não podem encerrar por aqui. Podemos constatar nos projetos finalistas que as ações realizadas mexeram com os ambientes escolares e, acima de tudo, no caráter desses alunos. Vivenciamos aqui hoje boas práticas de cidadania. A união entre escola e comunidade é o que possibilita, efetivamente, o desenvolvimento da educação”, observa.

 

.

O projeto vencedor promoveu a construção de um espaço de convivência nas proximidades da Escola Municipal José de Alencar. Foi realizado o plantio de mudas nativas e frutíferas, a construção de uma quadra de areia e ambientes de lazer como balanços e gangorras feitos à base de madeira e pneus recicláveis. Pensando na continuidade do projeto, o professor Alexandro Moreira da Rocha, disse que está bastante empolgado com as próximas ações. Para o próximo ano, o professor revelou que estão previstos a pintura dos espaços, a construção de um quiosque, e a idealização de uma biblioteca itinerante.

Rosa Lorena Trombini, 13 anos, aluna da Escola Municipal José de Alencar, conta que os alunos envolvidos no projeto estão se preparando para traçar as metas e dar continuidade nas ações para o próximo ano. “O nosso objetivo é concluir o nosso projeto e levar diversão à toda comunidade”, conta ela toda orgulhosa.

Os alunos da escola ganhadora receberão R$ 1.500,00 como prêmio para investir na continuidade das ações. Já o educador responsável pela execução dos trabalhos ganhará R$ 500,00, que poderá contribuir para sua capacitação profissional. A coordenadora da Escola Municipal José de Alencar, Sandra Trombini Contadini, disse que irá se reunir com a comunidade escolar para decidirem a forma como será investido o recurso.

Conforme o secretário municipal de educação, Ermes José dos Reis, o PVE proporcionou ao longo dos quatro ciclos, a reconstrução dos espaços de aprendizado. “Temos o início de um grande movimento, no qual o aluno passa ser o protagonista dessa história e professor o mediador. O aluno também precisa achar soluções para o melhoramento da aprendizagem. Eu sinto que estamos no caminho certo, pois o resultado obtido até o momento é a integração entre comunidade e escola”.

Outra frente do PVE é a de Mobilização Social, que envolve alunos, familiares e a comunidade em geral. Nessa frente, foram desenvolvidos o plantio de mudas e revitalização de espaços públicos, além das atividades voltadas ao Desafio Criativos da Escola. O concurso incentivou crianças e jovens a desenvolverem projetos para transformar a realidade das escolas e do município. Participaram crianças e jovens de 9 a 17 anos, matriculados na rede pública de ensino.

Para a coordenadora da mobilização social do PVE, Juliana Piauí, o processo de mobilização é essencial para o aprimoramento das condições de ensino e aprendizagem dos alunos. “Estamos buscando formas e estratégias de melhoria da qualidade do ensino da educação. É importante destacar que tudo isso são medidas que demonstram alternativas que favorecem a compreensão dos alunos em relação ao estudo, bem como a construção do conhecimento”, considera a pedagoga.

 

.

O consultor de Responsabilidade Social do Projeto Aripuanã, Sérgio Oliveira, ressalta que a abordagem desta edição em Aripuanã reflete a necessidade de tornar as escolas mais inclusivas. “É visível a participação social ao longo dos ciclos. É disso que nós precisamos, dessa interação social. O nosso objetivo é melhorar os índices da qualidade de ensino nas escolas. Os alunos passaram a ter mais interesse pelos ambientes escolares. Isso mostra que o PVE transforma a educação, contribuindo de forma concreta para o desenvolvimento nas comunidades em que é realizado”, afirmou.

Ao todo 6 mil alunos da rede pública de Aripuanã são beneficiados pelo projeto da Nexa. O PVE atinge vários municípios do Brasil, e o município mato-grossense é um dos contemplados com o projeto, que visa melhorar os índices de ensino e orientar aos gestores, professores e alunos, por meio de ações, planos de gestão pública, trabalhos de campo e projetos institucionais.

Criativos da Escola

O desafio Criativos da Escola é promovido pelo Instituto Alana e é parte das iniciativas do PVE. Esse concurso propõe aos alunos participantes a criação de projetos para solucionar problemas do cotidiano. No final, é escolhido um destaque municipal, que recebe uma premiação em dinheiro, e um destaque nacional do PVE. São selecionados outros dez destaques gerais pelo Instituto Alana.

Sobre o PVE

O programa é desenvolvido pelo Instituto Votorantim desde 2009 em alinhamento às prioridades do Ministério da Educação (MEC) e possui impacto positivo comprovado sobre o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Também possibilita o fortalecimento da cultura de formação continuada de profissionais de Educação. Além de Caçapava do Sul, o PVE está presente em 53 municípios brasileiros na edição de 2017, número que ultrapassa o triplo de cidades envolvidas no ano anterior.

Sobre a Nexa

Somos Nexa.

Uma mineradora global que faz parte do Grupo Votorantim e do dia a dia da sociedade.

Do cobre dos carros ao cobre dos celulares.

Do zinco das plantações ao zinco dos aviões.

Desde 1956 atuamos no mercado de metais não ferrosos. Hoje, crescemos e somos uma das principais mineradoras do mundo todo. Temos ações negociadas nas bolsas de Nova Iorque e Toronto sob o símbolo que é exatamente o nosso nome: (NEXA).

Acreditamos que, quando extraímos o melhor do presente, criamos um futuro melhor para todos nós.
 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Você defende que a ferrovia passe por Cuiabá?

Sim, pois incrementará a economia.
Não, pois não temos produtos em volume necessários.
Indiferente
Outro problema como o VLT
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114