» mais
Comentar           Imprimir
Interior de MT
Quinta, 22 de fevereiro de 2018, 22h12

Atendimento do serviço do transporte escolar é discutido por gestão de Colíder


Os alunos do campo matriculados na rede pública de ensino historicamente foram transportados tanto para as escolas urbanas, num só período, exceto para as escolas estaduais: Palmital, Café Norte e Nova Galileia.

Contudo, o número de alunos do campo e especificamente das escolas acima tem diminuído expressivamente nos últimos anos.

Esta é a principal razão do replanejamento da oferta do serviço de transporte escolar.

A secretária municipal de Educação, Tereza Mangolin, explica que ainda em outubro de 2017 a secretaria de educação fez um levantamento das linhas e a contagem dos alunos que utilizam o transporte escolar, nas escolas estaduais: Palmital, Café Norte e Nova Galileia nos dois períodos chegando à conclusão que os ônibus têm capacidade para transportar todos os alunos com segurança e acomodações dignas em apenas um período.

De posse desses dados abriu-se dialogo com a assessoria pedagógica, representante da Secretaria de Estado de Educação (SEDUC) no município e lideranças das três escolas já mencionadas com apresentação de dados estatísticos que comprovam a importância do debate. Também foi apresentado o panorama à Câmara de Vereadores e encaminhado documentos com demonstrativo ao Secretário de Estado de Educação Marco Marrafon.

Todas estas articulações renderam pouco, pois houve muita resistência com relação à mudança, com a alegação de que o espaço físico das escolas não é suficiente para o atendimento.

Logo, o problema não é o transporte escolar e sim a insuficiência do espaço físico.

Como dito acima, estas escolas são estaduais, então, compete ao Governo Estadual fazer a adequação dos espaços, redimensionando os já existentes, haja vista que a exemplo de outras escolas com o mesmo número de salas atendem o mesmo número de alunos com o transporte sendo feito em apenas um período. Neste sentido, o município já se declarou parceiro para a efetivação das adequações. Afinal, fazer as adequações fica muito mais em conta do que manter uma frotas de 8 veículos rodando 266.400 km nos duzentos dias letivos.

Além disso, os motoristas que tem uma carga horária diária de 6h por dia, trabalham 14h por dia, ou seja, a hora extra é superior à carga horária normal

Diante do impasse o prefeito Noboru Tomiyoshi retomou o diálogo nesta terça-feira com o Secretário Estadual de Educação Marco Marrafon. Este informou que a situação está sendo estudada pela equipe de microplanejamento e dará um posicionamento.

AMM


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Você concorda com uma candidatura do vice Niuan a deputado estadual?

Não - pois se Emanuel for cassado Cuiabá ficará sem prefeito.
Sim - pois é direito dele como político.
Tanto faz, Mauro Mendes também não teve vice.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114