» mais
Comentar           Imprimir
Interior de MT
Quinta, 18 de abril de 2019, 09h53

Nova Mutum promove segunda edição do Workshop do Projeto Luz


.

As Promotorias de Justiça da comarca de Nova Mutum (a 264km de Cuiabá) capacitaram 628 integrantes da rede de proteção à criança e ao adolescente, de 8 a 17 de abril, durante a segunda edição do Workshop do Projeto Luz. Com duração de oito horas diárias, o evento teve como objetivo sensibilizar os participantes sobre a importância do combate à exploração sexual infantojuvenil e orientá-los para a identificação de possíveis sinais e sintomas das vítimas de violência sexual, bem como para adoção das medidas necessárias para proteção da vítima e apuração de eventual prática criminosa.

Na abertura do evento, o Ministério Público abordou a relevância do tema, enfatizando a necessidade de se estabelecer uma rede de proteção linear, uniforme e padronizada, atendendo às vítimas de maneira rápida, eficaz e minimizando os nefastos efeitos do abuso sexual, visando, sempre, a proteção integral da criança e do adolescente. Os promotores de Justiça ainda explanaram sobre a criação e o funcionamento do projeto, esclarecendo a atuação da rede desde o surgimento da notícia do abuso sexual até as consequências na seara judicial criminal e cível.

Representada por psicólogas, a Secretaria Municipal de Educação abordou o tema “Infância e cuidado: percursos, vivências e atitudes”. As profissionais falaram sobre as nuances da formação da linguagem da criança, a fim de capacitar o noticiante a identificar eventuais situações de abuso sexual ainda na primeira infância. Também dialogaram acerca das formas de abordagem em situações suspeitas e na realização da escuta ativa nos casos relatados espontaneamente pelas crianças e adolescentes. Por fim, apresentaram os procedimentos a serem adotados no surgimento de casos de abuso e violência sexual.

A Secretaria de Saúde levou o tema “Prevenção, proteção e redução de danos do abuso sexual”, que tratou da urgência na notificação dos casos de abuso sexual, em especial, diante da curta janela de tempo para iniciar a profilaxia de urgência com o objetivo de inibir graves doenças, além de uma possível gestação. Destacou, ainda, as consequências decorrentes do abuso sexual sofrido, a exemplo de depressão, sentimento de culpa, baixo autoestima, agressividade, comportamentos suicidas, dentre muitos outros. Por último, apelou para a mudança de paradigmas dos integrantes da rede, buscando a conscientização acerca da importância da notificação dos casos de abuso e violência sexual.

A Polícia Militar apresentou, de forma lúdica, o novo procedimento operacional adotado junto ao Projeto Luz, com exemplos práticos de ocorrências envolvendo vítimas de abuso e exploração sexual. Ressaltou que, com a implantação da iniciativa, a rotina de atendimento foi modificada para, além de deter o agressor, resguardar a integridade física, psicológica e moral da vítima.

Já a Polícia Judiciária Civil detalhou um estudo realizado sobre autores do abuso sexual, abordando a personalidade dos abusadores e desmistificando a existência de um perfil pré-formado dos indivíduos que praticam esse crime. Os investigadores de polícia exibiram estatísticas a respeito dos principais abusadores, os gatilhos que desencadeiam a prática dos abusos, além de explanar sobre os subterfúgios utilizados para submeter a criança e o adolescente às vontades dos abusadores e as principais justificativas utilizadas por estes para se defender em eventual interrogatório. 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Em quem você votaria hoje para prefeito de Cuiabá?

Pedro Taques
Blairo Maggi
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114