» mais
Comentar           Imprimir
Nacional
Domingo, 03 de junho de 2018, 11h15

Pacto Global e governo de SP lembram 130 anos de lei que aboliu escravidão no Brasil


A Rede Brasil do Pacto Global foi uma das realizadoras do seminário “Abolição 130 anos depois: A Lei e o exercício da lei” que ocorreu no início de maio (10) no Museu Afro Brasil, em São Paulo.

Às vésperas dos 130 anos da lei que aboliu a escravidão no Brasil, o Museu Afro Brasil, o Memorial da Resistência do Estado de São Paulo e a Assessoria Especial para Assuntos Internacionais (AEAI) do Governo do Estado de São Paulo promoveram um bate-papo com estudantes da rede pública e demais inscritos sobre negritude, políticas afirmativas, racismo e violência contra a população negra.

O evento fez parte da agenda “O Mundo que Queremos”, em comemoração aos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Cento e trinta anos após a Lei Áurea, uma série de desafios ainda estão postos diante da cultura segregacionista no Brasil, último país a abolir a escravidão no mundo, lembrou a Rede Brasil do Pacto Global.

Apesar de o país ter uma das maiores populações negras fora do continente africano, estudos apontam que os negros recebem 28% abaixo da média salarial praticada no país, enquanto o nível de sua qualidade de vida está uma década atrasada em relação ao dos brancos. Os dados são de estudos do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Menos de 5% dos executivos são afrodescendentes e, destes, apenas 0,4% são mulheres, segundo dados do Instituto Ethos. Negras e negros afirmam que a discriminação é intensa no mercado de trabalho, ferindo o princípio 6 do Pacto Global da ONU.

Para falar sobre o tema, foram convidados Lívia San’Ana Vaz, promotora do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) desde 2004, o músico Rincon Sapiência, principal nome do rap brasileiro da atualidade, e Ana Claudia Pereira, oficial de projeto em gênero, raça e etnia do Fundo de População das Nações Unidas no Brasil (UNFPA).

Logo após o seminário, o Museu Afro Brasil realizou a pré-estreia da exposição “Isso é coisa de Preto”, com curadoria de Emanoel Araújo, diretor do museu.


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

O futuro político de Pedro Taques será:

Candidato a prefeito de Cuiabá em 2020
Voltar a operar na área de Direito
Não me interessa, problema dele.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114