Artigos

Infeliz o povo que depende de uma eleição
Amadeu Roberto Garrido de Paula
Nossa democracia tem solução - e não é intervenção
Fellipe Corrêa
Restaurar o futuro
Coriolano Xavier
Saúde e fake news
Luiz Evaristo Ricci Volpato
As Redes Sociais podem acabar?
João Alves Daltro
» mais
Comentar           Imprimir
Turismo
Segunda, 21 de maio de 2018, 23h38

Acordo sela parceria para promover e qualificar destinos gay-friendly no Brasil


Roberto Castro
.

O Ministério do Turismo, a Embratur e a Câmara de Comércio e Turismo LGBT do Brasil assinaram, na manhã desta segunda-feira (21), em São Paulo, um acordo de cooperação técnica para preparar o Brasil como destino LGBT. O pacto foi firmado no mês marcado pelo Dia Internacional Contra a Homofobia, celebrado no último 17 de maio.

Segundo o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, para avançar na relação LGBT com o comércio e os negócios do setor, é preciso primeiro aprimorar as ideias que constroem o País. “O Brasil é uma nação muito conservadora, ainda que diversa. Mas o turismo faz muitas coisas acontecerem. Ele aproxima, cria canais, faz as pessoas viajarem, se comunicarem, se entenderem apesar dos idiomas distintos. O turismo é uma forma de ‘respirar’, de ‘oxigenar’ o Brasil”, acredita.

O ministro afirmou ainda que o acordo pelo segmento é resultado de um “diálogo de alto nível, que dá sinais sobre o respeito à diferença e diz muito sobre o acolhimento brasileiro, que é a vocação e o talento do nosso País”, observou.

Lummertz ressaltou que de cada 10 turistas no mundo, um é do segmento LGBT e cerca de 15% da movimentação financeira turística mundial é gerada por este público, segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT).

A presidente da Embratur, Teté Bezerra, destacou que a perspectiva de igualdade vai além de uma decisão estratégica do setor. “É um público importante, que viaja muito e impacta positivamente a cadeia do Turismo. A sociedade, a iniciativa privada e os governos valorizam a diversidade e defendem a igualdade”, disse. “É a diversidade que define o Brasil”, completou.

Para Ricardo Gomes, da Câmara LGBT do Brasil, o convênio é “a parceria que faltava” para avançar nos trabalhos da entidade. Ele destacou que o acordo vai “ampliar, fomentar o trabalho e dar divulgação às atrações deste que é um País completo em turismo”. Com os projetos previstos, “pensamos e buscamos uma sociedade onde todos sejam respeitados e incluídos”, frisou.

De acordo com a secretária municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, Eloisa Arruda, “a cidade de São Paulo acolhe essa iniciativa de braços abertos, por entender a importância desse público para a cidade”. Ela destacou que “medidas como o casamento homoafetivo, a adoção do nome social e tantas outras conquistas mostram a luta da sociedade para derrubar tabus”, celebrou.

ACORDO - O objetivo do pacto é promover e apoiar a comercialização do Brasil como destino gay-friendly nos mercados doméstico e internacional, além de sensibilizar prestadores de serviços turísticos para evitar o preconceito no atendimento a esse público.

A execução do plano de trabalho integrado será supervisionada, monitorada e avaliada por um Comitê Gestor a ser formado em até 30 dias. Entre as ações previstas no acordo estão o desenvolvimento de estudos e pesquisas de diagnóstico do segmento para conhecer o perfil e os hábitos de consumo do público; ações de qualificação profissional para agentes do setor e medidas de promoção e apoio à comercialização de produtos, serviços e destinos ligados ao segmento LGBT nos mercados nacional e internacional.

A iniciativa contempla metas previstas no PNT 2018-2022 para oferecer acesso democrático à atividade turística. A Pasta possui assento no Conselho Nacional de Combate à Discriminação e Promoção dos Direitos LGBT e em 2016 elaborou, em conjunto com o CNCD-LGBT, o Guia “Dicas para atender bem Turistas LGBT”. A publicação tem o objetivo de orientar os prestadores de serviço turísticos sobre o atendimento ao público LGBT, oferecendo dicas que garantam acolhimento e respeito a esse público em destinos e equipamentos turísticos.


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Você concorda com uma candidatura do vice Niuan a deputado estadual?

Não - pois se Emanuel for cassado Cuiabá ficará sem prefeito.
Sim - pois é direito dele como político.
Tanto faz, Mauro Mendes também não teve vice.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114