» mais
Comentar           Imprimir
Turismo
Quarta, 31 de outubro de 2018, 16h13

Turismo com licença poética


Enquanto alguns poetas viraram homenagem a cidades e avenidas brasileiras, outros se tornaram o próprio atrativo turístico em monumentos, museus e até mesmo o principal encanto em palavras gravadas ao longo de trilhas de parques naturais. No Dia Nacional da Poesia, saiba como circuitos e roteiros turísticos do País são embalados pela história e importância do lirismo brasileiro.

Salvador respira poesia em seus espaços públicos. Um dos símbolos da cidade é a praça Castro Alves – o “poeta dos escravos”, autor de O Navio Negreiro –, que conta com monumento de 11 metros de altura em homenagem ao artista que é sinônimo de liberdade. No local, se tem uma das mais belas vistas da Bahia de Todos os Santos, principal cartão postal da capital baiana.

Já o poema “Tarde em Itapuã”, escrito por Vinícius de Moraes e musicado por Toquinho, imortalizou uma das praias mais visitadas pelos turistas da capital da Bahia. A praia inspiradora de poetas e compositores também abriga o Farol de Itapuã, a praça Vinícius de Moraes com estátua do poeta e a praça Dorival Caymmi em homenagem a outro baiano parceiro de Moraes.

A poesia também vibra em passeios pelo casario colorido do Pelourinho, sítio histórico patrimônio da humanidade, onde o turista pode visitar a Fundação Casa de Jorge Amado, instituição cultural dedicada ao famoso escritor modernista e que oferece um café estiloso, exposições e livraria. Se estiver no Rio Vermelho, outro distrito cultural de Salvador, dá para conhecer também a residência onde Amado e Zélia Gattai viveram e escreveram boa parte de seus livros.

Outra opção para turistas que visitarem a Costa do Cacau, na região de Ilhéus, é explorar um roteiro cultural inteiramente voltado para a literatura de Jorge Amado: além de visitar a própria casa do escritor, dá para percorrer as ruas do centro histórico conhecendo atrativos como o bar Vesúvio e o famoso cabaré Bataclan do romance “Gabriela, Cravo e Canela”, escrito em 1958.

No Rio de Janeiro, enquanto a Academia Brasileira de Letras – fundada pelo escritor Machado de Assis – oferece visita guiada para turistas interessados em poesia romântica e literatura, na orla o turismo também ganha licença poética. Uma das paradas obrigatórias para visitantes é posar para a foto com a estátua de Carlos Drummond de Andrade em um banco da Avenida Atlântica, em Copacabana, ou caminhando com Tom Jobim e seu violão, em Ipanema. A poesia de Jobim é uma das mais cantadas no Brasil e no mundo.

Recife (PE) é mais um destino cheio de atrativos ligados à poesia, além dos sobrados e casarões que abrigaram escritores como Clarice Lispector, Gilberto Freire e Capiba, o "mestre do frevo", autor de mais de 200 canções sobre Recife e Olinda. A estátua do mestre contempla a paisagem do Rio Capibaribe, na Rua do Sol, onde termina o desfile do Galo da Madrugada. Outro clássico roteiro turístico da capital pernambucana inclui a escultura de Manuel Bandeira, precursor do Movimento Modernista, e a estátua de João Cabral de Melo Neto, autor da célebre obra Morte e Vida Severina – ambos na Rua da Aurora. Já Luiz Gonzaga, o "Rei do Baião", saúda quem passa pela antiga Estação Central e pela Casa de Cultura, antiga Casa de Detenção do Recife, atual mercado de artesanato da capital.

Em Porto Alegre, a Casa de Cultura Mario Quintana ocupa o antigo Hotel Majestic, no Centro Histórico da capital dos gaúchos. O prédio restaurado abriga acervo sobre o poeta, com direito à reprodução do quarto onde ele viveu durante 12 anos (entre 1968 e 1980). O atrativo cultural conta com cinemas, duas salas de teatros com capacidade para 300 espectadores e cinco salas para apresentações artísticas. O Café dos Cataventos é uma homenagem à primeira obra literária de Quintana, chamada Rua dos Cataventos.

Uma experiência diferente para quem busca poesia longe dos centros urbanos pode estar no Parque Nacional Grande Sertão Veredas. O nome do parque é uma homenagem a uma das mais importantes obras literárias do Brasil: Grande Sertão Veredas, de Guimarães Rosa. Durante os passeios pelas veredas, mirantes, trilhas e cachoeiras, os visitantes são brindados com citações da obra do escritor. O romance retrata com extrema sensibilidade a realidade regional onde a unidade de conservação está inserida, repleta de passagens que descrevem os locais, a relação do homem com a natureza e as características culturais, ainda hoje encontradas pelos visitantes. A área preserva recursos naturais e culturais numa área de 230 mil hectares entre Cocos (BA) e os municípios mineiros de Chapada Gaúcha, Formoso e Arinos.

Entre grandes e pequenas, a poesia está em todas as cidades. Em São Paulo, a Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura, na Avenida Paulista, é um dos atrativos de pura poesia e cultura na maior cidade da América Latina. Já no pequeno município de Gonçalves Dias (MA), o batismo da cidade é uma clara homenagem ao poeta maranhense imortalizado pela Canção do Exílio.

No Rio Grande do Sul, a cidade de Cruz Alta, terra de Érico Veríssimo, abriga um museu na casa onde nasceu o poeta gaúcho. O local recebe milhares de visitantes para conhecer os manuscritos do escritor, fotos e a máquina de escrever, entre livros e outros objetos. No Nordeste, Fortaleza tem o Teatro José de Alencar e também preservou a casa onde viveu o poeta, homenagem ao autor imortalizado na obra “Iracema”. A estátua da índia reúne turistas para foto na orla da capital cearense.

 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Em quem você votaria hoje para prefeito de Cuiabá?

Pedro Taques
Blairo Maggi
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114