» mais
Comentar           Imprimir
Geral
Terça, 07 de novembro de 2017, 09h35

Inmetro alerta sobre risco de tombamentos de móveis e TVs sobre crianças


Todos os anos são registrados diversos casos de acidentes com crianças decorrentes de móveis e eletrodomésticos, como TVs que tombam sobre elas. Os fatos ocorrem em todo o mundo, sendo alguns deles fatais. No Brasil, onde também já foram identificados relatos, o Inmetro está à frente de uma campanha de conscientização, com o intuito de alertar pais, responsáveis, classe médica e instituições de ensino infantil sobre o perigo. Trata-se de uma ação global envolvendo 18 países que acontece de 06 a 10 deste mês. O Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso (Ipem-MT) está encarregado de fazer a divulgação da campanha no Estado.

Além do Inmetro, a Ong Criança Segura também aderiu à iniciativa, que é fruto de uma parceria com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), criadora da campanha, que reúne os regulamentadores dos países que são referência em segurança infantil, como os Estados Unidos, Canadá, Austrália e os da União Europeia.

“Nossa intenção é que os responsáveis tenham consciência dos riscos causados pelo tombamento de móveis e eletrodomésticos. Nos Estados Unidos, por exemplo, uma criança morre a cada duas semanas em decorrência desse tipo de acidente. É importante nos juntarmos a outros países, a fim de ampliar este alerta no Brasil para um risco que ainda pode ser desconhecido para muitas pessoas”, comenta Paulo Coscarelli, da Diretoria de Avaliação da Conformidade.

A prevenção é a principal ação a ser tomada: “É importante verificar em casa, por exemplo, se móveis como estantes, cômodas e racks estão bem fixos à parede. Outra ação simples é ancorar TVs e outros eletrodomésticos de grande porte, prendendo-os à parede ou ao móvel com abraçadeiras ou suportes adequados. Nada, porém, substitui a supervisão dos pais e responsáveis. As crianças são curiosas e tendem a subir no mobiliário para tentar alcançar algum objeto. É preciso estar sempre atento”, aconselha Paulo.

A campanha contará com material informativo e dicas de prevenção. Será divulgado no site do Inmetro e nos das entidades parceiras, além das mídias sociais nas quais será usada a hashtag #fixaí.

Pesquisa nacional

Entre julho e agosto, o Inmetro realizou uma pesquisa para mapear os índices de acidentes vinculados ao tombamento de móveis e TVs. Do total de participantes da pesquisa, 93% afirmaram já ter visto ou tomado conhecimento de casos de crianças escalando móveis. Também foi alto o percentual dos que afirmaram ter sabido de casos de crianças que sofreram acidentes porque o móvel ou a TV tombou sobre elas (77%). “O levantamento revela ainda serem bastante elevados os percentuais de lesões leves em decorrência de tombamento de móveis ou TV (43,1%) e de lesões graves ou fatais (21,2%), o que reforça a necessidade de campanhas de conscientização como esta”, cita Coscarelli.

Medidas regulatórias

O Inmetro vai aprofundar o estudo sobre os riscos oferecidos pelo produto para avaliar se cabe adotar alguma medida regulatória adicional. No momento, reúne informações sobre o assunto por meio de benchmarking internacional e dados recebidos de acidentes no Brasil. A própria campanha de conscientização já é uma forma de o Instituto intervir no setor e alterar o comportamento dos consumidores com foco no uso seguro de móveis e eletrodomésticos de grande porte. “É importante que todos os casos de acidentes sejam relatados no Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidentes de Consumo (Sinmac), pela internet, para nos ajudar a decidir se cabe ou não uma futura regulamentação que cubra todos os casos passíveis de risco”, complementa Coscarelli.

Cenário global

O Brasil, por intermédio do Inmetro, faz parte do Grupo de Trabalho de Segurança de Produtos de Consumo (Working Party on Consumer Product Safety), coordenado pela OCDE e composto pelas autoridades regulamentadoras das principais economias do mundo. Com isso, mantém-se na fronteira dos debates conduzidos internacionalmente no âmbito da proteção da saúde e da segurança do consumidor. No cenário global, regulamentadores de segurança de produtos trabalham ativamente na sensibilização da sociedade quanto aos perigos relacionados ao tombamento de móveis e TVs, e vêm registrando dados sobre este tipo de ocorrência.

Nos Estados Unidos, segundo a Comissão de Segurança de Produtos de Consumo (Consumer Product Safety Commission - CPSC), há um relato com morte a cada duas semanas, em decorrência da queda de mobiliário ou eletrodoméstico sobre crianças. Os acidentes fatais ocorrem por sufocamento (a vítima fica presa sob o objeto e não consegue respirar), pelo choque/golpe ou por esmagamento. A cada ano, mais de 22 mil crianças, com até 8 anos de idade, dão entrada em atendimento hospitalar de emergência com ferimentos decorrentes da tombamento de móveis nos EUA.

No Canadá, entre 2011 e 2017, foram reportados 19 incidentes envolvendo o tombamento de mobiliário, sendo três mortes de crianças abaixo de 6 anos, oito casos de ferimentos e oito relatos de defeitos nos produtos, além de 234 atendimentos em pronto-socorro relacionados à queda de móveis e TVs (95,7% envolviam vítimas abaixo de 10 anos e em 46,6% dos casos as crianças haviam escalado os móveis).

Na Austrália foram registradas 22 mortes de crianças abaixo de 9 anos causadas pela queda de móveis e TVs desde 2001, e, anualmente, esse tipo de acidente leva 2.650 pessoas ao hospital (72% delas crianças abaixo de 9 anos e 56% abaixo de 4 anos).

Já na Coreia do Sul, a Agência Coreana do Consumidor (KCA) recebeu 201 relatos de ferimentos decorrentes desse tipo de acidente desde 2014, sendo 54,7% dos casos relacionados a crianças de 0 a 14 anos.

Dicas de segurança

Fixe na parede ou no chão os móveis que corram o risco de tombar, como estantes e cômodas.

Coloque a TV num móvel robusto e estável, adequado para suportar seu tamanho.

Prenda a TV ao móvel com abraçadeiras para evitar que o aparelho deslize e, para garantir a segurança, afixe-a à parede.

Ao afixar TVs de tela plana diretamente na parede, num painel ou num móvel, siga as instruções do fabricante para garantir que elas estejam presas de forma segura.

Se você tem em casa algum aparelho de TV de tubo de grande porte, coloque-a num móvel baixo e estável. Caso não o utilize mais, considere reciclá-lo.

Em casos de acidentes de consumo envolvendo este tipo de produto ou qualquer outro acidente envolvendo um produto ou um serviço, faça o relato no Sinmac (www.inmetro.gov.br/sinmac). 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Você defende que a ferrovia passe por Cuiabá?

Sim, pois incrementará a economia.
Não, pois não temos produtos em volume necessários.
Indiferente
Outro problema como o VLT
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114