» mais
Comentar           Imprimir
Geral
Terça, 03 de julho de 2018, 12h02

Veículo elétrico é testado em serviço operacional da BR-163


.

O atendimento operacional e o monitoramento da BR-163 ganham uma novidade a partir desta semana, quando os serviços começam a ser realizados por um veículo elétrico, o T3 da marca BYD. A iniciativa da Concessionária Rota do Oeste traz para Mato Grosso inovação tecnológica e um cuidado a mais ao meio ambiente, aponta a Associação Brasileira de Proprietários de Veículos Elétricos e Inovadores (Abravei).

Durante um período de três meses a Concessionária fará testes para analisar a viabilidade do veículo elétrico na prestação de serviço na rodovia. Inicialmente, o trecho monitorado será o de sobreposição com a BR-364, entre a Serra de São Vicente, no km 343, e o km 393, em Santo Antônio de Leverger, área de cobertura da base de atendimento da Rota do Oeste no município. Atualmente, o atendimento operacional é realizado com o apoio de caminhonetes, disponibilizadas nas 18 bases ao longo dos 850,9 quilômetros sob concessão.

O gerente de Operações da Rota do Oeste, Wilson Ferreira, explica que a inserção tecnológica teve como ponto de partida a preocupação com o meio ambiente e economia, aliada à necessidade de incentivo e fortalecimento da tecnologia no estado. “Faremos o teste durante 90 dias para avaliar o desempenho do veículo, segurança no atendimento, a viabilidade técnica e econômica para comparar com os modelos usados hoje”.

A aceitação dos usuários com relação aos veículos elétricos também será mensurada, uma vez que haverá uma mudança no modelo, que passa a ser uma van. Assim, é preciso identificar na prática se o T3 atende às necessidades dos usuários, da empresa e da rodovia.

Após conhecer pessoalmente o veículo, o representante estadual da Abravei e vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (Fiemt), Gustavo Oliveira, avalia que a escolha da Concessionária foi bem feita e que o carro tem condições de atender aos serviços prestados na rodovia. “Será uma excelente demonstração de que o carro elétrico pode substituir o modelo por combustão. O usuário terá à disposição um sistema de atendimento sem poluentes e com um custo de manutenção bem menor”, completa.

O presidente da Abravei, Edgar Escobar, complementa que o uso, mesmo que em caráter de teste, de veículos elétricos pela Rota do Oeste segue um caminho já percorrido por empresas que prestam serviço ao público em países da Europa e nos Estados Unidos.

“Fora do Brasil os carros elétricos são usados como transporte nos serviços públicos, polícia, Correios, saúde, por exemplo. Aqui, há a necessidade de o setor privado iniciar e incentivar o uso do carro elétrico. Não adianta esperar pelo governo. O pioneirismo sempre venceu e não tenho dúvida de que a Rota do Oeste contará com diminuição nos custos de manutenção, o que vai incentivar a expandir a frota”, afirma Escobar.

Entre as vantagens dos veículos elétricos, o presidente da Abravei cita o custo por quilômetro rodado, que cai de R$ 0,39 (consumo dos veículos movidos a combustão) para R$ 0,09, a sustentabilidade, uma vez que existe a diminuição da emissão de CO2 e a manutenção. “Em 18 meses de uso de carro elétrico deixei de emitir cerca de 4 toneladas de CO2. Além disso, o carro elétrico não precisa trocar óleo de motor, não utiliza filtros de óleo, gasolina e radiador. A economia com a manutenção é absurda, sem contar que o veículo é muito silencioso”.

ELETROPOSTO – Para abastecimento do veículo elétrico que vai atuar na rodovia, a Rota do Oeste instalou um eletroposto na praça de pedágio, em Cuiabá. Inicialmente, o equipamento será para abastecimento exclusivo da Concessionária. “Ainda estamos em fase de teste, mas temos interesse em disponibilizar esse serviço para o usuário, caso os veículos elétricos sejam adotados de forma permanente”, relata Wilson.

Com autonomia para percorrer 250 quilômetros, o T3 leva cerca de 1h30 para recarregar a bateria. Este é um dos fatores que também será avaliado pela Rota do Oeste durante o período de teste. Para dirigir o veículo e realizar o abastecimento, os funcionários que vão operá-lo passaram por treinamento.

A instalação do eletroposto na praça de pedágio é outro ponto visto como favorável pelo vice-presidente da Fiemt, Gustavo Oliveira. “A continuidade desse projeto vai garantir a ampliação da infraestrutura para recarga em Mato Grosso. Em um futuro muito próximo os mesmos postos de abastecimento dos carros da Rota do Oeste poderão ser utilizados pelos particulares que têm veículos elétricos, algo semelhante ao que acontece no Paraná e em São Paulo”, avalia.

T3 da BYD – Para o teste de 90 dias, a BYD cedeu à Rota do Oeste o modelo T3 100% elétrico, uma van ganhou um design especial e com a cara e as cores da Concessionária, reforçando a preocupação da empresa com o meio ambiente, um dos compromissos sociais da empresa.

 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Você concorda com uma candidatura do vice Niuan a deputado estadual?

Não - pois se Emanuel for cassado Cuiabá ficará sem prefeito.
Sim - pois é direito dele como político.
Tanto faz, Mauro Mendes também não teve vice.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114