» mais
Comentar           Imprimir
Geral
Quarta, 27 de fevereiro de 2019, 16h56

Trabalho e humanidade garantem ressocialização na Cadeia Pública de Primavera


A ressocialização de presos em Primavera do Leste (321 km ao sul de Cuiabá) está avançada, gerando economia ao município, auxílio às famílias e resgatando pessoas do mundo do crime. O Projeto Segunda Chance desenvolvido em parceria entre Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria, Fundação Nova Chance e Prefeitura tem dado esperança e oportunidade a dezenas de presos da Cadeia Pública.

José Boret estava preso e foi selecionado no início do projeto, em abril do ano passado. Se dedicou e conseguiu um resultado melhor do que o esperado. Progrediu de regime, saiu do fechado para o semiaberto, e se tudo der certo em mais alguns meses, poderá ir para o aberto, com uma expectativa de vida bem melhor. “Na semana que vem começo a trabalhar pela primeira vez de carteira assinada. Nunca tive essa experiência. Uma empresa da cidade me selecionou e vou pegar essa oportunidade com unhas e dentes. Vão me pagar o dobro do que estava ganhando aqui. Dou graças a Deus e as autoridades pela oportunidade que estou tendo. Tenho uma filha de 4 anos pra criar e não quero voltar para o crime nunca mais“, disse esperançoso.

José é um dos 70 presos da Cadeia Pública de Primavera do Leste que participam do projeto que está resgatando vidas e dando esperança a muita gente. “Os presos que têm bom comportamento ainda conseguem ganhar um dia para visitarem suas famílias. Temos uma fila de espera para participarem. As facções criminosas procuram angariar os presos e nós estamos cooptando estas pessoas para o bem. Se o reeducado estiver cumprindo a pena dele e chegar ao final dela desta maneira, esta sim é a efetiva ressocialização. Ganhamos com esse reingresso na sociedade, e ainda a pacificação na comarca”, disse o juiz diretor do Foro de Primavera Alexandre Delicato Pampado.

Presos do regime semiaberto atuam na limpeza urbana, jardinagem e pintura de meio fio, já o pessoal do regime fechado atua em outro local. Uma Fábrica de Artefatos de Cimento foi instalada na Secretaria de Infraestrutura. Eles produzem 10 tipos de objetos, bancos de concreto, caixas para bocas de lobo e até bloquetes. Pelo trabalho cada preso recebe um salário mínimo e segundo a Prefeitura de Primavera, um bloco de meio fio era adquirido por R$ 25,80. Pelo projeto a peça custa ao município apenas R$ 8. Por dia são produzidas 60 peças. “A ideia é tornar o município autossustentável nesta questão de manutenção urbana”, revelou o secretário de infraestrutura, Eduardo Wolf.

Outro ponto positivo é a segurança no ambiente prisional. “O comportamento dos presos muda muito, pois eles querem uma chance e pra participar tem que ter bom comportamento e não participar de facções criminosas. A reincidência também diminuiu muito. Já chegamos a ter 220 presos na cadeia, hoje temos 185, notamos que aquelas velhas figurinhas carimbadas não estão voltando a cometer delitos. Até as famílias dos presos nos pedem uma oportunidade para coloca-los no projeto. É algo que deu certo mesmo”, revelou o diretor da Cadeia Pública de Primavera Valdeir Zelis.

É o caso de muitos deles, que por falta de oportunidade acabavam caindo em novo erro. “Todos que me conhecem viram que este projeto é uma mudança de vida. Minha família está muito feliz, eu estou muito feliz“, disse o reeducando Joel dos Santos Moreira.

“Muito egressos sofrem um preconceito grande. Alguns ainda utilizam a tornozeleira eletrônica. A Prefeitura oferecendo este tipo de oportunidade, como primeiro trabalho deles é de extrema valia. O projeto já deu tão certo que pensamos em ampliar. O próximo passo será fornecer uniformes escolares a preços módicos aos estudantes das escolas públicas do município”, revelou o juiz Alexandre.
 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Em quem você votaria hoje para prefeito de Cuiabá?

Pedro Taques
Blairo Maggi
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114