» mais
Comentar           Imprimir
Justiça e Direito
Quinta, 26 de janeiro de 2017, 13h57

MP notifica secretário de Estado de Saúde para sanear irregularidades no MT Laboratório


Janelas enferrujadas e com rachaduras, vidros trincados, fiação do ar condicionado exposta, paredes com rachaduras, ralos do laboratório com mau cheiro, autoclave feita com cano de PVC (diverso do apropriado), cadeiras quebradas, lâmpadas queimadas, corredores obstruídos por armários, caixas, estufas e refrigerador. Estes são alguns dos problemas encontrados pelo Núcleo de Defesa da Cidadania, da 7ª Promotoria Cível de Cuiabá, ao fazer uma visita in loco ao MT Laborarório. A unidade tem a finalidade de fornecer atividades que promovem, preveem e combatem os agravos na proteção da saúde dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).
 

Alexandre Guedes, promotor de Justiça.


Diante das irregularidades constatadas pela Promotoria, o MP notificou o secretário de Estado de Saúde para que no prazo de 180 dias realize providências administrativas necessárias ao saneamento das irregularidades apontadas nas instalações do MT Laboratório.

"É visível que as condições estruturais e sanitárias do MT Laboratório encontram-se em extremamente precárias, submetendo a população a um serviço de péssima qualidade, devendo o Estado possibilitar os recursos necessários ao efetivo cumprimento do seu fim, buscando garantir o direito constitucional à saúde. Diante das informações trazidas e das evidentes irregularidades constatadas, verifica-se a necessidade de resolver o problema aqui descrito, ante a omissão do Poder Público em fazê-lo", destaca o promotor de Justiça, Alexandre de Matos Guedes.

Ele argumenta que a utilização de instrumento extrajudicial na tentativa de se obter a adequação do serviço público em questão "mostra-se totalmente pertinente, uma vez que a eficiência de tal atividade é interesse que o próprio gestor deve buscar, pois a administração pública deve obedecer, dentre outros, o princípio da eficiência, o qual impõe ao administrador a persecução do bem comum, por meio do exercício de suas competências, de forma eficaz e sempre em busca da qualidade", destaca.

O promotor esclarece que a ausência de resposta a Notificação Recomendatória será interpretada como recusa de atendimento à medida nela contida, o "que será determinante para a propositura de ação judicial cabível à espécie", afirma. 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Em quem você votaria hoje para prefeito de Cuiabá?

Pedro Taques
Blairo Maggi
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114