» mais
Comentar           Imprimir
Justiça e Direito
Terça, 16 de maio de 2017, 10h06

Mutirão da Energisa ocorre até sexta-feira


Teve início nesta segunda-feira (15 de maio) o Mutirão de Mediação e Conciliação da concessionária Energisa, em parceria com a Central de Conciliação de Cuiabá. As audiências concentradas ocorrem até sexta-feira (19), das 8h às 16h, no auditório do fórum da capital. Ao todo, cerca de quatro mil pessoas foram convidados para negociação em fase pré-processual e outras 170 com processos em andamento.

Os atendentes da empresa, que compõem as 14 bancas de atendimento foram treinados pelo Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT). Eles atenderam pessoas como dona Maria Ilda dos Santos, que é cozinheira de uma creche e estava com cinco contas de energia em atraso. Ela disse que sai do mutirão contente porque conseguiu um desconto no valor total e parcelou em seis vezes seu débito. “Eles dividiram pra mim e ficou mais fácil pagar. A gente ganha pouco e isso ajudou bastante para eu poder regularizar o que estava devendo”, explicou.

A juíza coordenadora da Central de Conciliação, Adair Julieta da Silva informou que só podem comparecer ao mutirão aqueles que receberam as notificações. Ela disse que o que tem de melhor para o consumidor devedor é poder pagar sua dívida com benefícios, como entrada mínima de 30%, parcelamento em até 12 vezes, isenção de multa, juros de mora, correção monetária e atualização futura.

“Isso ocorre em decorrência do termo de parceria firmado entre a concessionária de energia e o Poder Judiciário, por meio do Nupemec. Aquelas pessoas que vierem aqui e estiverem em fase pré-processual já evitam a judicialização. Os que estiverem com o processo em trâmite já faz o acordo e é homologado logo em seguida pelo juiz do processo”.

Com isso, a magistrada salienta que todos saem ganhando e são vantagens que a conciliação, a cultura da paz traz para a população. “O devedor ganha com esses benefícios, a empresa que está trazendo os benefícios recebem o valor que vai para o seu caixa e o Poder Judiciário, que tem a baixa no estoque dos processos que estão em andamento e também evita entrar mais processos para seu estoque”. 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

A retomada das obras do VLT pode ser:

Palanque político para 2018
Mais uma balela sem fim
Confio na solução do problema
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114