» mais
Comentar           Imprimir
Justiça e Direito
Terça, 20 de fevereiro de 2018, 16h51

Mais de 1,2 mil processos já foram correicionados


Duas equipes da Corregedoria-Geral da Justiça de Mato Grosso (CGJ-MT) já correicionaram 1.219 processos, entre físicos e virtuais, nas comarcas de Alta Floresta (a 803km de Cuiabá), Peixoto de Azevedo (a 691km da capital) e Matupá (a 694km da capital). Os trabalhos tiveram início ontem (19 de fevereiro) e seguem até o dia 23, em seis comarcas do polo, sob coordenação das juízas auxiliares Ana Cristina Silva Mendes e Jaqueline Cherulli, e supervisão da desembargadora corregedora Maria Aparecida Ribeiro.

O objetivo da correição é averiguar a regularidade dos serviços administrativos e judiciários executados nas comarcas, e orientar os servidores para uma melhor organização das rotinas em busca da efetividade na prestação jurisdicional, da diminuição do estoque processual e da redução da taxa de congestionamento. Nesta terça-feira (20 de fevereiro), as atividades estão em andamento em Alta Floresta e Matupá.

O grupo liderado pela juíza Ana Cristina ficará a semana inteira na sede do polo, onde inspecionará as seis varas, além da diretoria. Já a equipe da juíza Jaqueline percorrerá cinco comarcas: Peixoto de Azevedo (finalizada), Matupá (em andamento), Apiacás, Nova Monte Verde e Paranaíta. As correições são documentadas em relatórios, com apontamentos e recomendações, entregues aos magistrados responsáveis por cada unidade no encerramento dos trabalhos.

Os processos são correicionados por amostragem. Contudo, aqueles que se enquadram nas metas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), os que estão paralisados há mais de 100 dias e os da diretoria do Foro são 100% analisados. Além disso, podem ser examinados livros, papéis, atos e tudo mais que se relacionar ao expediente forense. As atividades das unidades vistoriadas prosseguem regularmente, inclusive sem alteração da pauta de audiências, dos prazos processuais e do atendimento às partes e aos procuradores.
 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Você concorda com uma candidatura do vice Niuan a deputado estadual?

Não - pois se Emanuel for cassado Cuiabá ficará sem prefeito.
Sim - pois é direito dele como político.
Tanto faz, Mauro Mendes também não teve vice.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114