» mais
Comentar           Imprimir
Justiça e Direito
Quinta, 05 de julho de 2018, 19h21

Servidores do interior são capacitados em PJe


Servidores das comarcas de Alto Araguaia e Campo Novo do Parecis receberam capacitação em Processo Judicial Eletrônico (PJe), na Escola dos Servidores. O curso com de 16 horas, foi realizado para 16 servidores, compreendendo gestores, analistas, técnicos e auxiliares.

A capacitação dos servidores segue a proposta da gestão 2017/2018, presidida pelo desembargador Rui Ramos, de implantar o programa nas unidades judiciais cíveis e também treinar os servidores destes locais para que imprimam melhoria na prestação jurisdicional entregue à população.

Rosivaldo Rodrigues, um dos instrutores do curso, falou sobre a praticidade que o sistema pretende levar às Comarcas. “Queremos levar ao servidor o conhecimento da ferramenta (PJe), já que o conhecimento jurídico eles já possuem. O sistema facilita as atividades do servidor, por exemplo, ao usar a ferramenta, o servidor consegue fazer funções que antes ele precisaria ir ao Fórum, como fazer uma expedição, juntada ou conclusão de documentos. O sistema registra todas as movimentações e o servidor não precisa fazer isso de forma manual.”

Além da praticidade e facilidade que o sistema trará, Fernando Ceccato, servidor de Campo Novo do Parecis, também mencionou a preocupação com a sustentabilidade que o sistema do PJe apresenta. “O curso é bem explicativo, pelo que foi apresentado, vai ajudar bastante. É o primeiro contato que eu tenho com o sistema, lá em Campo Novo do Parecis os processos ainda são físicos e, desde que o sistema rode bem, vai acelerar muito o nosso trabalho. Além dessas ajudas, a ferramenta também olha para o lado da sustentabilidade, porque consegue fazer a função que os papéis possuem. Imagino que as impressões vão diminuir bastante.”

“Já estava trabalhando com PJe no Juizado Especial, agora estou esclarecendo muitas dúvidas. O PJe vai ser implantado na 1ª e 2ª Vara Cível e, também por isso, o curso está sendo fundamental.” Disse Dalva Teodoro da Silva, auxiliar judiciária na Comarca de Alto Araguaia.


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Sobre taxação do agronegócio em MT, o que você sugere?

Não deve ser taxado e fica como está.
Muda o discurso e industrialize
Apenas fogo de palha. Logo se acertam.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114