» mais
Comentar           Imprimir
Justiça e Direito
Quarta, 11 de julho de 2018, 22h35

Tangará recebe força-tarefa e realinhamento


A corregedora-geral da Justiça de Mato Grosso, desembargadora Maria Aparecida Ribeiro, acompanhou o trabalho da equipe responsável pela força-tarefa para cumprimento de atos processuais e realinhamento nos autos de processos na secretaria da 4ª Vara Cível de Tangará da Serra (a 239km de Cuiabá), nesta terça-feira (10 de julho). De acordo com a Portaria nº 46/2018, as atividades começaram no dia 9 e seguem até o dia 13 deste mês, com objetivo de promover a celeridade processual para garantir o direito constitucional do acesso à Justiça.

A ação foi deliberada após constatação, durante a correição judicial realizada na semana passada, da existência de inúmeros processos pendentes de cumprimento na unidade e do número reduzido de servidores para atender a demanda. Segundo a desembargadora corregedora, é papel da CGJ-MT fiscalizar a regularidade dos serviços administrativos e judiciários executados nas comarcas, como também orientar para uma melhor organização das rotinas. Assim, diante do cenário encontrado, a magistrada definiu a estratégia para garantir efetividade na prestação jurisdicional.

O trabalho está sendo empreendido pela mesma equipe de servidores que esteve na 3ª Vara Criminal de Cáceres e na Vara Única de Rio Branco no primeiro semestre de 2018, com a finalidade de melhorar a qualidade dos serviços oferecidos, aumentar o grau de satisfação dos jurisdicionados, impulsionar processos, baixar o estoque, reduzir o congestionamento e, consequentemente, cumprir as metas estabelecidas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A força-tarefa consiste na juntada, expedição de documentos e arquivamento de processos. Já o realinhamento compreende a triagem dos processos físicos da secretaria, redefinição do layout da unidade (incluindo os móveis), organização dos escaninhos e pastas, e capacitação da equipe.


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Você concorda com uma candidatura do vice Niuan a deputado estadual?

Não - pois se Emanuel for cassado Cuiabá ficará sem prefeito.
Sim - pois é direito dele como político.
Tanto faz, Mauro Mendes também não teve vice.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114