» mais
Comentar           Imprimir
Educação
Terça, 15 de maio de 2018, 07h58

Gênero e orientalismo são temas de palestra na UFMT


O grupo de Pesquisa Linguagens e Descolonialidades (GPLeD), vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagem (PPGEL) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) realiza a palestra “Gênero e orientalismo”. A atividade acontece no dia 8 de junho a partir das 14h na sala M (auditório do 2º andar) do Instituto de Linguagens.

A atividade do grupo, fomentado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), será ministrada por Laísa Marra de Paula Cunha Bastos, doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e autora do livro “Fetiche neo-orientalista - o problema da autorrepresentação do subalterno e as autobiografias de mulheres muçulmanas”.

“A palestra examinará os modos pelos quais se articulam as categorias de gênero e orientalismo. Defende-se que as concepções e representações orientalistas são pautadas segundo dicotomias que equacionam o Oriente ao feminino, e o Ocidente ao masculino. Nesse sentido, os territórios e corpos orientais são apreendidos, filosófica e politicamente, enquanto uma natureza misteriosa e fértil, conquanto irracional, a ser domesticada pelo poder civilizatório representado pelo Ocidente e seu sujeito dito universal”, explica o professor Fernando Zolin Vesz, coordenador do GPLeD.

“Para observar como esse processo se dá, serão analisados fragmentos de textos e pinturas historicamente posicionados no período imperialista/colonial, em comparação com representações que circulam contemporaneamente, no século XXI. Com isso, objetiva-se destacar as permanências e mutações do discurso orientalista em sua indissociável marcação de gênero”, acrescenta.
As inscrições são gratuitas e devem ser feitas a partir deste formulário até 30 de maio.

Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail linguagensedescolonialidades@gmail.com.


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

A onda 'não eleja parentes' pode afetar Emanuelzinho Pinheiro?

Afeta pois o pai Emanuel tem várias denúncias por corrupção
Não afeta e segue separado dos problemas do pai
Tanto faz, o povo não não leva a sério o voto.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114