» mais
Comentar           Imprimir
Educação
Quarta, 08 de maio de 2019, 15h06

Orquestra da UFMT homenageia mães com concerto de Câmara


Uma viagem musical por estilos, países e sons; uma alquimia entre naipes de madeira e metal; uma – mais que justa – homenagem ao dia das mães. Essa é a proposta da Orquestra da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), na retomada dos concertos de Câmara. O espetáculo acontece neste domingo (12), a partir das 10h, no Teatro Universitário. A entrada é gratuita sem retirada antecipada de ingressos.
A apresentação será realizada pelo quinteto de sopros, formada pelos músicos Eduardo Lima, Gabriel Lisboa, Leonnid Paniago, Laerte Tavares e Rute Gomes. Segundo o maestro Fabricio Carvalho, esse é o segundo programa realizado pela Orquestra na temporada 2019 e o primeiro, marcando a retomada da música de Câmara, feita em pequenos grupos com os mesmos instrumentistas da Orquestra, porém em formação reduzida. “É mais uma novidade da orquestra, ampliando repertório e público, trazendo a oportunidade de um concerto em um horário especial. E esse, especificamente, é dedicado às mães, para que os filhos deem de presente a elas um momento especial de cultura e de lazer”, aponta.
Madeira e metal
A novidade desta apresentação é a união da sonoridade de instrumentos de sopro. O maestro da Orquestra explica que foram unidos os instrumentos líderes do chefe do naipe de madeiras – flauta, fagote, clarinete e oboé – com a trompa, do naipe dos metais. “A trompa tem um caráter bastante suave. Talvez seja, dos instrumentos de metais, o mais suave. Por isso ele se encaixa bem com a formação de madeiras que são de instrumentos com timbres mais suaves, gerando um som muito gostoso e diferente”, observa.
O repertório também faz parte da alquimia de sons. No espetáculo serão exibidos “Aragonaise”, da Suíte Carmen, de George Bizet; “Divertimento n° 1 em Si Maior”, de Joseph Haydn; “Dança dos Cisnes”, de Piotr Ilitch Tchaikovsky; “Cinco peças em trio”, de Jacques Ibert; “Arrecifes Armorialis”, de Marcelo F.M.; e Lamento, de Pixinguinha. “Essa última canção também comemora o aniversário de Pixinguinha, ocorrido no final de abril”, acrescenta Fabrício Carvalho.
Os músicos
A fagotista Rute Gomes iniciou seus estudos em 2011 no Instituto Ciranda Música e Cidadania, sob orientação do fagotista Radan Slivensky. Participou de festivais em Poços de Caldas (MG), com o Professor Ronaldo Pacheco, em Pelotas (RS), e da USP-UFRJ. Foi aluna do curso de Difusão Cultural – Fagote na USP sob orientação do fagotista Fábio Cury. Em 2018 participou como aluna ativa do II Encontro Internacional de Palhetas Duplas da ABPD. Cursa Licenciatura em Música pela UFMT. Participou da Orquestra de Câmara do Departamento de Artes da UFMT e é convidada da temporada de concertos da Orquestra Sinfônica da UFMT. É professora da classe de Fagote no Instituto Ciranda Música e Cidadania e toca na Orquestra Sinfônica Ciranda Mundo.
O flautista Leonnid Paniago iniciou seus estudos em Belém (PA) na classe da professora Janete Castro. Em 2007, ingressou no Instituto Ciranda – Música e Cidadania estudando flauta transversal com a professora Tamara Secotti. Participou do Festival Internacional de Música de Brasília nas classes dos professores Sérgio Barrenechea e Rogério Wolf. Foi músico da Orquestra de Sopros do Instituto Ciranda e desde 2008 participa como flautista convidado em diversos concertos com a Orquestra do Estado e com a Orquestra Sinfônica da UFMT. O músico também é professor de flauta transversal no Instituto Ciranda – Música e Cidadania e flautista principal da Orquestra Sinfônica Ciranda Mundo desde 2009.
O oboísta Laerte Tavares iniciou seus estudos na música com dez anos na Igreja Congregação Cristã do Brasil, no saxofone com professor Diego Monteiro. Em 2013, entra para o Instituto Ciranda e inicia seus estudos no oboé com professora Jizele André. O músico já participou de vários festivais pelo Brasil e América do Sulm integrou o grupo de Música de Câmara (OCAM) da UFMT, do grupo de música antiga do departamento, da Orquestra Jovem do Campo Verde e da Orquestra da UFMT e atualmente termina sua graduação em Licenciatura em Música pela UFMT, atuando como oboísta nas Orquestras Ciranda Mundo e da Universidade.
O clarinetista Eduardo Lima é Mestre e Bacharel laureado em Música pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), além de ter se aperfeiçoado na Alemanha com o professor Ralph Manno. Com apenas 13 anos fez sua primeira turnê internacional e desde então acumula prêmios em concursos nacionais e internacionais. Como solista, apresentou-se frente das Orquestras Sinfônicas do Prelúdio (São Paulo), de Minas Gerais, da UFPB, de João Pessoa, Jovem da Paraíba, Jovem da UFPB e da UFMT, onde atualmente exerce a função de chefe de naipe, além de ministrar aulas no curso de extensão em clarinete da UFMT.
Gabriel Lisboa começou a estudar música na igreja e trompa no Instituto Ciranda, com a professora Rebeca Almeida. Participou das Orquestra de Cascavel (PR), da UFMT, de Campo Verde, Poconé, Rondonópolis e Ciranda Mundo e algumas bandas, como a do Exército de Cuiabá e Orquestra de Percussão e Metais de Mato Grosso.


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Em quem você votaria hoje para prefeito de Cuiabá?

Pedro Taques
Blairo Maggi
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114