» mais
Comentar           Imprimir
Política Nacional
Segunda, 03 de julho de 2017, 16h13

Comissão de Finanças e Tributação discutirá redução dos royalties das hidrelétricas


A Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados promove audiência pública, na quinta-feira (6), para discutir a autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) de reduzir o valor no repasse de Compensação Financeira pelo Uso dos Recursos Hídricos (CFURH), também conhecida como ‘royalties das hidrelétricas’.

O evento foi proposto pelo deputado Enio Verri (PT-PR). Ele observa que a CFURH foi instituída pela Constituição Federal de 1988 e regulamentada pela Lei 8001/90 para compensar a inundação das áreas atingidas por barragem, em todo o Brasil.

“O cálculo da CFURH é estabelecido pela Tarifa Atualizada de Referência (TAR), revista a cada quatro anos e atualizada anualmente pelo IPCA. Neste ano, essa tarifa foi reduzida, o que provocará a redução de arrecadação dos municípios, em mais de R$ 400 milhões por ano”, alerta o parlamentar.

Expositores

Foram convidados para participar da audiência:

- o superintendente de Gestão Tarifária da Agencia Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Davi Antunes Lima;
- o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho;
- o vice-prefeito do município de Paulo Afonso (BA) e diretor de comunicação da Associação Nacional dos Municípios Sedes de Usinas Hidroelétricas (Amusuh), Flavio Henrique de Lima;
- o técnico do Departamento Intersindical de Estudos e Estatísticas (Dieese) na subseção FNU - CUT Gustavo Teixeira da Silva;
- os coordenadores nacionais do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Iury Paulino e Robson Formica;
- o coordenador da Plataforma Operária e Camponesa para Energia, Luiz Dalla; e
- o presidente da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), Murilo Pinheiro.

Hora e local

A audiência está marcada para começar às 10 horas, em local a definir. 

AgC


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Você concorda com uma candidatura do vice Niuan a deputado estadual?

Não - pois se Emanuel for cassado Cuiabá ficará sem prefeito.
Sim - pois é direito dele como político.
Tanto faz, Mauro Mendes também não teve vice.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114