Artigos

Infeliz o povo que depende de uma eleição
Amadeu Roberto Garrido de Paula
Nossa democracia tem solução - e não é intervenção
Fellipe Corrêa
Restaurar o futuro
Coriolano Xavier
Saúde e fake news
Luiz Evaristo Ricci Volpato
As Redes Sociais podem acabar?
João Alves Daltro
» mais
Comentar           Imprimir
Política Nacional
Sábado, 09 de junho de 2018, 13h07

MPF denuncia nove investigados na 51ª fase da Lava Jato


A força-tarefa de procuradores da Operação Lava Jato apresentou ontem (8) denúncia contra nove investigados na 51ª fase da operação, deflagrada no mês passado, pelos crimes de associação criminosa, corrupção e lavagem de dinheiro. Todos serão julgados pela Justiça Federal em Curitiba.

Chamada de Operação Deja Vu, essa fase de investigações apura crimes de corrupção e lavagem de dinheiro em um contrato de US$ 825 milhões, envolvendo a área internacional da Petrobras, para a prestação de serviços de segurança, meio ambiente e saúde.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), três ex-funcionários da Petrobras, um operador financeiro e ex-executivos da empreiteira Odebrecht participaram de um esquema de pagamento de US$ 24,7 milhões em propina para favorecer a empresa em contrato de prestação de serviços com a estatal. Entre os denunciados estão Aluísio Teles Ferreira Filho, Rodrigo Zambrotti Pinaud e Ulisses Sobral Calile (ex-funcionários da Petrobras); o operador financeiro Mário Ildeu de Miranda, Ângelo Tadeu Lauria e quatro executivos da Odebrecht.

“Como contrapartida à propina paga, a Odebrecht teve acesso a informações privilegiadas de modo antecipado sobre o projeto, inclusive à relação das empresas a serem convidadas para o futuro certame, bem como sugeriu alterações relacionadas ao procedimento licitatório que restringiam a competição e a favoreciam amplamente”, argumenta o MPF, na denúncia.

Após as investigações da Lava Jato, a Odebrecht assinou um acordo de leniência com o MPF, no qual reconheceu ter praticados atos ilícitos envolvendo contratos da Petrobras e comprometeu-se a pagar uma multa cujo valor gira em torno de R$ 6,8 bilhões.

ABr


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Você concorda com uma candidatura do vice Niuan a deputado estadual?

Não - pois se Emanuel for cassado Cuiabá ficará sem prefeito.
Sim - pois é direito dele como político.
Tanto faz, Mauro Mendes também não teve vice.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114