» mais
Comentar           Imprimir
Auto&motores
Domingo, 20 de janeiro de 2019, 09h04

Audi fecha 2018 com cerca de 1.812.500 automóveis vendidos


Fechamento no final do ano em queda de 3,5% devido a um cenário difícil
Quatro argolas mais uma vez líder no mercado premium da China
 


Ingolstadt – A Audi entregou cerca de 1.812.500 automóveis para clientes em todo o mundo em 2018, 3,5% menos do que há um ano. Na Europa, as vendas caíram 13,6% nos últimos 12 meses. No continente americano, a Audi havia substituído quase um terço de suas entregas com trocas de modelos importantes para o A1, A6, A7 e Q3 desde o início do ano. Na China, a montadora de Ingolstadt reafirmou sua posição como a marca premium de maior sucesso pelo trigésimo primeiro ano consecutivo. Na América do Norte, a empresa fechou o ano em pé de igualdade com o nível do ano passado (-0,9%). Cerca de 154.550 clientes em todo o mundo escolheram um Audi em dezembro, uma queda de 14,3 por cento.

“Como esperado, 2018 provou ser extremamente desafiador com a maior campanha de modelos e tecnologia na história da Audi - coincidindo com a mudança para o novo ciclo de testes WLTP” afirma Bram Schot, CEO e membro interino do Conselho de Vendas e Marketing da Audi AG. "O feedback positivo de nossos modelos mais recentes demonstra a força de nossa marca, enquanto nos preparamos para os novos desafios que virão este ano".

 

CEO da Audi, Bram Schot:
“Estamos nos preparando para novos desafios após um ano desafiador”

.

 

Na China, a Audi fechou novamente o ano com um novo recorde: 663.049 automóveis vendidos, representando um aumento de 10,9%. O volume de vendas aumentou mais de cinco vezes nos últimos dez anos. Em 2018, as marca das Quatro Argolas viram a demanda disparar para os modelos premium produzidos localmente, especialmente o A4 L (+ 42,6% para 163.279 carros) e o A3 (+ 12,7% para 91.173 carros). Neste ano, a empresa vendeu mais de 10.000 unidades (+ 4,0%) da nova edição do seu carro-chefe de categoria full-size, o A8 L. Em outubro, uma versão longa do Q2 adaptada especificamente ao mercado chinês entrou para o portfólio local. Esta versão é destinada especialmente a clientes jovens. Para 2019, mais destaques irão chegar para os concessionários do mercado chinês, como a introdução do novo A6 L que acontecerá em breve. Com o Audi Q2 L e-tron como o primeiro carro elétrico produzido localmente e o Audi e-tron como modelo de importação, a Audi também pretende estabelecer um importante marco na segunda metade do ano para a eletrificação da gama de modelos na China.

 

Mudanças de modelo, inúmeras incertezas políticas e econômicas, bem como a mudança para o novo ciclo de testes WLTP dominaram os negócios da Audi na Europa em 2018. Em todos os modelos, as vendas no continente caíram 13,6% para cerca de 743.600 unidades durante o ano. O A7 teve um bom desempenho, com vendas de 47,4 por cento para cerca de 10.100 unidades desde janeiro. Atraindo cerca de 16.000 reservas antecipadas, o Audi e-tron também animou os clientes europeus. Em dezembro, cerca de 51.500 clientes (-20,9%) na Europa receberam chaves de um Audi. A empresa continua a trabalhar a todo vapor na homologação de seus modelos. Semana após semana, mais variantes de motor/transmissão podem ser novamente encomendadas no configurador.

 

Nos Estados Unidos, a Audi alcançou mais uma vez um forte número de vendas em 2018, encerrando o ano com 223.323 clientes, ligeiramente abaixo do valor comparativo de 2017 (-1,4%). A família Q, particularmente, está dando bastante impulso nos Estados Unidos, a demanda para os utilitários cresceu acima da média em 8,3%, para 126.252 unidades. Pela primeira vez na história da Audi America, as vendas de SUV representam 57% das entregas. O modelo Q mais popular é o Q5, com um aumento na demanda em mais de 21%, para 69.978 carros. A Audi Canadá também se beneficiou da tendência de SUV, alcançando um novo recorde (+ 2,5% para 36.908 carros). Como resultado, o Canadá estabeleceu-se entre os dez maiores mercados pelo terceiro ano consecutivo. Na América do Norte, as entregas no ano como um todo se basearam no alto nível de 2017 (- 0,9% para 275.000 carros).

.

 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Sobre taxação do agronegócio em MT, o que você sugere?

Não deve ser taxado e fica como está.
Muda o discurso e industrialize
Apenas fogo de palha. Logo se acertam.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114