» mais
Comentar           Imprimir
Mundo
Sexta, 06 de julho de 2018, 16h52

Produtores de fake news recorrem a novas técnicas via redes sociais no México


Antes da eleição presidencial do último domingo (1º), as redes sociais no México foram tomadas por notícias falsas e posts com milhares de curtidas automatizadas – muitas vindas até mesmo do Brasil. Apesar das advertências, maior controle e frentes de verificação de fatos, informou a Reuters, os produtores de falsidades recorreram a técnicas avançadas e conseguiram espalhar conteúdos falsos, em especial no formato de vídeos, imagens e memes. Foi o que fez o rei das fake news em solo mexicano, relata o site BuzzFeed, Carlos Merlo, dono da empresa Victory Lab, uma das centenas de fábricas de mentiras online que funcionam no país.

À reportagem do site noticioso, o fabricante de mentiras demonstrou como funciona o mecanismo que criou para dar popularidade a mensagens marcadas com hashtags no Twitter. A equipe de Merlo cria frases que, uma vez postadas na rede social, são mencionadas por contas falsas, operadas a partir de um software. O programa, diz Merlo, funciona por meio de bots que analisam e replicam os textos criados pela equipe da Victory Lab na frequência de publicações reais que ocupam as primeiras posições dos tópicos mais citados. Pelo serviço no Twitter, Merlo diz que cobra preços mais baratos que de outras empresas: cerca de US$ 100 mil.

Para atuar no Facebook, o fabricante de mentiras revela que desenvolveu outra estratégia, com o objetivo de evitar os bloqueios da rede social às falsidades que ele produz. Ao invés de manter um site com milhões de seguidores, a Victory Lab opera quatro mil páginas que produzem fake news no Facebook, sempre camufladas para se parecerem com jornais locais. “Fazemos estes jornais desde 2011”, conta Merlo.

O Facebook afirmou ao BuzzFeed ter investigado as atividades da Victory Lab e de outras empresas semelhantes durante a eleição mexicana. A rede social, informou a Reuters, disse ter contratado mais profissionais de conteúdo, financiado pesquisas externas e fechado acordos com verificadores de fatos para monitorar o pleito mexicano. O Facebook não deu detalhes, mas garantiu que as fake news apareceram em menores quantidades nos feeds dos usuários até o dia da votação.

O ambiente digital no México é favorável para a propagação de mentiras, diz o BuzzFeed, onde há baixa confiança nos meios de comunicação e nas instituições. Cerca de 80% dos mexicanos acreditam que as notícias falsas afetam de alguma forma suas vidas cotidianas. Um funcionário de uma empresa de marketing digital, semelhante à Cambridge Analytica, pivô de escândalo de uso indevido de dados do Facebook, afirmou ao BuzzFeed que provavelmente 90% dos trending topics no México são controlados por agências como a que ele trabalha.

WhatsApp

No México, assim como no Brasil, o serviço de mensagens WhatsApp, de propriedade do Facebook, tornou-se um canal privilegiado para espalhar falsidades em grupos fechados que deixam a empresa e as autoridades no escuro, dizem pesquisadores. O aplicativo é popular até mesmo em áreas rurais, nas quais os dados móveis são pouco utilizados.

ANJ


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

O futuro político de Pedro Taques será:

Candidato a prefeito de Cuiabá em 2020
Voltar a operar na área de Direito
Não me interessa, problema dele.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114