Cuiabá | MT 06/12/2021
Né !

Documentário em parceria da UFMT estreia em Barra do Garças

Sábado, 04 de dezembro de 2021

.

“O dedo de Deus” é curta-metragem regional
Ofilme “O dedo de Deus: contatos mágicos na Serra do Roncador” tem uma série de exibições para este mês de dezembro. Nesta sexta-feira (3) o filme passou por duas sessões, na Escola Estadual Irmã Diva Pimentel, no Bairro Santo Antônio, em Barra do Garças (MT). Na próxima terça-feira (7) acontecem exibições às 19h em Barra do Garças e Cáceres, no auditório da Prefeitura Municipal e no 3º Festival de Cinema Olhares do Pantanal, respectivamente. Todas as apresentações são gratuitas.

A estreia nesta sexta-feira marca a primeira de uma sequência de apresentações do documentário em escolas públicas e em cineclubes do circuito exibidor do Araguaia, formado por quatro cidades e três aldeias indígenas das etnias Bororo e Xavante. O curta-metragem retrata o misticismo na cordilheira que é considerada um dos pontos de energia espiritual do planeta. Em Cuiabá a exibição do documentário será no dia 14 deste mês, às 19h, no cinema do SESC Arsenal. Todos os protocolos de segurança para prevenção da Covid-19 serão respeitados e o uso de máscara é obrigatório.

Com 31 minutos de duração, o filme foi realizado em parceria com o Núcleo de Produção Digital da Universidade Federal de Mato Grosso (NPD/UFMT) do campus Araguaia. As gravações durante a pandemia, nos meses de março, julho e setembro deste ano, foram um desafio a mais para a finalização do projeto, que tem locações na Serra do Roncador, no distrito de Vale dos Sonhos, município de Barra do Garças, e em Cuiabá (MT).

Para a idealizadora do projeto, a jornalista Aliana Camargo, a apresentação do trabalho em escolas é uma oportunidade de o público conhecer a sua própria região, geografia e história. “A maioria dos alunos que assistiram ao documentário nunca foi à Serra do Roncador. Além disso, o tema aborda a existência humana, assunto muito propício para a fase da adolescência porque, saindo da infância, as questões existenciais vêm com muita força."

O coordenador do NPD-UFMT, professor Gilson Costta, explica que o apoio técnico, logístico e institucional do núcleo aos realizadores da região e as produções audiovisuais feitas pelo próprio órgão impactam no cenário cultural regional. “Proporcionam um número considerável de trabalhos que passam a compor o acervo fílmico da região, estimulam uma cadeia produtiva que acolhe e qualifica os profissionais dessa área no interior e inserem Barra do Garças no circuito mato-grossense de produção audiovisual.”

A criação de uma rede de cineclubes, com instalações físicas e tecnológicas adequadas, é uma ação do Núcleo de Produção Digital da Universidade Federal de Mato Grosso (NPD-UFMT), Campus Araguaia, para incentivar a valorização e o conhecimento da realidade local por meio do audiovisual. O NPD é um dos realizadores do filme sobre o misticismo no Roncador, feito com recursos da Lei Aldir Blanc, edital MT Nascentes, da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer de Mato Grosso (Secel-MT).

Experiências e evolução como fio condutor

O caminho do documentário passa pelo relato de experiências metafísicas e de evolução da consciência humana vivenciadas pelo ator cuiabano André D’Lucca, um apaixonado pela região. Do primeiro encontro com a serra no município de Barra do Garças (MT), ainda na adolescência, às mais de 30 viagens ao Roncador na fase adulta, André conta sua trajetória em busca de autoconhecimento e de conexão com o divino.

O mistério que transcende a realidade material também entrelaça à narrativa do ator os depoimentos de pesquisadores e de espiritualistas que consideram o Roncador um santuário espiritual e metafísico, um chacra da Terra. Mais do que a porta da Amazônia Legal, a Serra do Roncador seria um portal para o desconhecido.

O título do filme, O dedo de Deus, é uma menção à formação rochosa no Roncador bastante visitada por turistas e místicos do Brasil e do exterior por ser considerada um local de grande concentração energética. Do visível ao invisível, o curta-metragem tem como pano de fundo a reflexão sobre a fuga da rotina e do sistema econômico que valoriza os bens materiais, a busca pelo amadurecimento espiritual que intriga a razão, cura as feridas emocionais e instiga a imaginação.  

Documentário sobre obra de Vitória Basaia segue em cartaz até 18 de dezembro; entrada livre

Terça, 30 de novembro de 2021

.

“Uterus Mundus” segue em exibição de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, integrando ao 26º Salão Jovem Arte, na Galeria Lava Pés

Dirigido por Marithê Azevedo, com 22 minutos de duração, o curta-metragem foi realizado com recursos da Lei Aldir Banc por meio do edital MT Nascentes, da Secel - Foto por: DivulgaçãoDirigido por Marithê Azevedo, com 22 minutos de duração, o curta-metragem foi realizado com recursos da Lei Aldir Banc por meio do edital MT Nascentes, da Secel

“Uterus Mundus”, documentário sobre a obra da artista plástica Vitória Basaia segue em exibição até o dia 18 de dezembro, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, integrando ao 26º Salão Jovem Arte de Mato Grosso, na Galeria Lava Pés, localizada no piso térreo da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT).

Dirigido por Marithê Azevedo, com 22 minutos de duração, o curta-metragem foi realizado com recursos da Lei Aldir Banc por meio do edital MT Nascentes, da Secel.

Para construir Uterus Mundus, Marithê explica que criou uma poética muito particular para revelar o universo de Basaia, que procurou expressar dois dos principais traços do trabalho da artista plástica: a tematização do feminino (uterus) e a criação de uma cosmogonia (mundus).

“Sua casa, que também se transformou em uma obra e traz em todo o seu espaço a intervenção da artista, aparece como personagem no documentário, e por todo o processo audiovisual, que resvala o caos e um pensamento sobre a arte e a vida no tempo presente”, conceitua a diretora.

Sobre o resultado do documentário, Vitória Basaia destaca que “a arte veste o vestido da minha própria pele. A casa habita e acolhe meu cosmo agonia, guarda em si uma energia que só eu pensei entender. Nesse documentário de Marithê Azevedo senti que essa energia de sentidos e sentimentos se revelou. Lá estou eu gestando meu mundo e parindo o imaginário que me povoa e se abriga em todos cantos como construção de mim mesma. Fico ali diante das imagens e sons em silêncio. Como espectadora observo o meu próprio eu em Uterus Mundus e digo: ‘Ela conseguiu captar e enxergar até o que está escondido em mim’”.

Beto Dois a Um, secretário de Cultura, Esporte e Lazer ressalta a importância dos trabalhos realizados durante o período de pandemia.

“Fazer arte é um ato de resistência. É muito gratificante perceber trabalhos de tamanha relevância sendo realizados, mesmo diante de tantas adversidades. Vitória Basaia é uma artista essencial para as artes em Mato Grosso e merece todas as honrarias. Todos os dias, quando chego para trabalhar, ela está lá, olhando para mim, na projeção pensada pelo Salão Jovem Arte. Isso faz toda a diferença no meu cotidiano, me inspira e motiva”.

O curta-metragem tem a fotografia de Rosano Mauro, trilha sonora de Cristina Dignart, direção de produção Carol Araújo, produtora associada Latitude filmes e a participação de Aline Figueiredo, Serafim Bertoloto, Ludmila Brandão, Adriana Milano e Julio César Carvalho.

Divulgação

Marithê Azevedo é cineasta e roteirista. Vencedora do Prêmio Melhor Documentário Brasileiro no Festival Internacional do Cinema Feminino (Femina) por “Memórias Clandestinas” e Prêmio Melhor Telefilme Documentário no Festival de Cinema de Mato Grosso por “As cores que habitamos”.

Doutora em Artes Cênicas e mestre em Cinema pela Universidade de São Paulo (USP), foi docente nos cursos de Cinema da USP e da FAAP/SP. Pesquisadora associada do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea, ECCO/UFMT, concluiu o roteiro de ficção para longa metragem “Religare”, selecionado pelo Minc para desenvolvimento de roteiro, selecionado e premiado pelo Bolivia Lab.

Seus mais recentes trabalhos foram o documentário “Uterus Mundus” e o curta de ficção “Entraves”. Em produção está a série sobre Mulheres, em cinco episódios, selecionado pelo Prodav Tvs públicas 2018. Atuou como consultora e jurada do VIII Taller de Guion del Xi Bolivia Lab.

 

'Insuportáveis'

Quarta, 10 de novembro de 2021

.

 

Com coletiva.... sem imprensa

Segunda, 25 de outubro de 2021

Sérgio Ricardo - arquivo


Pela manhã, às 11h16, o Tribunal de Contas do
Estado de Mato Grosso distribuiu nota informando que o conselheiro Sérgio Ricardo será reintegrado em cerimônia realizada na tarde desta segunda-feira (25), às 16h, no Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT).

Logo após a assinatura do termo de reintegração ao cargo, o conselheiro Sérgio Ricardo concede entrevista coletiva para os jornalistas.

Depois, às 15h21, o mesmo TCE informou que a coletiva de imprensa com o conselheiro Sérgio Ricardo marcada para esta segunda-feira (25) foi adiada.

E que a reintegração do conselheiro ao cargo será realizada em cerimônia restrita, na Presidência do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT).

Com o detalhe: Não será autorizada a entrada da imprensa.

 

PJC em desinfecção

Terça, 17 de agosto de 2021

A Polícia Civil emitiu comunicado informando que hoje, terça-feira (17.08), o expediente no prédio da Diretoria Geral será suspenso às 16 horas, em razão de desinfecção realizada pelo Corpo de Bombeiros em prevenção ao coronavírus (Covid-19).

 

1 - 2 - 3 - 4 - 5

Busca



Enquete

Com Emanuel afastado, o vice Stopa traz recursos do governo Mauro. O que você acha?

Com Stopa Cuiabá só tem a ganhar
Emanuel fazia birra e Cuiabá perdia
Mauro poderá fazer muito mais por Cuiabá com Stopa
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114