» mais
Comentar           Imprimir
Educação
Segunda, 14 de maio de 2018, 15h53

Ensino de história cultura afro-brasileira e indígena nas escolas é tema de curso


.

A Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc), em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social e Museu Rondon de Etnologia e Arqueologia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), realiza o Curso de Formação: “Intercâmbio Educacional e Intercultural – A Lei 11.645/08 em suas dimensões pedagógicas” para educadores e estudantes da capital. O objetivo é debater sobre a lei que tornou obrigatória a temática “História e cultura afro-brasileira e indígena” na base curricular nacional.

As inscrições para o curso foram abertas nesta segunda-feira (14.05) e podem ser efetuadas por e-mail. A formação tem início no próximo dia 30 de maio e será realizada no município de Cuiabá, no Auditório da Seduc e no Auditório do Museu Rondon de Etnologia e Arqueologia da UFMT.

Conforme um dos organizadores do curso, Lucas de Albuquerque Oliveira, da Superintendência de Políticas de Diversidades Educacionais da Seduc, a ação visa o aperfeiçoamento profissional no ensino de História e Cultura Indígena como conteúdo obrigatório a ser ministrado em todas as disciplinas.

“A formação faz parte do processo de implementação e promoção de políticas de equidade social e racial pautadas nos Direitos Humanos”, enfatiza.

Ele reforça que a formação fornece o subsídio teórico e pedagógico aos profissionais da educação para que eles possam fomentar o diálogo com as escolas estaduais e municipais, oferecendo um olhar aprofundado sobre a temática.

Inscrições

O curso conta com 200 vagas e terá duração de 40 horas. Ele é voltado para professores das redes estadual, municipal de Cuiabá e Várzea Grande e estudantes de Licenciatura em Ciências Sociais.

Para se inscrever basta baixar a ficha de inscrição, preenchê-la e enviar o e-mail para lucas.oliveira@educacao.mt.gov.br.

 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

A onda 'não eleja parentes' pode afetar Emanuelzinho Pinheiro?

Afeta pois o pai prefeito Emanuel foi flagrado no caso do paletó furado.
Não afeta e segue separado dos problemas do pai
Tanto faz, o povo não não leva a sério o voto.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114