Cuiabá | MT 20/02/2024
Agro
Sábado, 20 de janeiro de 2024, 20h18

Durante visita à Fundação Rio Verde, consultores buscam informações sobre anomalia da soja


 

.

Grupo de 25 profissionais do Rio Grande do Sul e Santa Catarina acompanhou os trabalhos desenvolvidos e visitaram o campo de pesquisas


Conhecer um pouco mais sobre a anomalia da soja, doença que trouxe prejuízos às lavouras mato-grossenses, e também sobre o trabalho de pesquisa da Fundação Rio Verde. Estes foram alguns objetivos de uma visita feita por um grupo de consultores vindos do sul do país a Lucas do Rio Verde na segunda-feira (15).

A visita começou com uma exposição sobre as pesquisas desenvolvidas pela Fundação Rio Verde. Foram apresentados gráficos mostrando a evolução dos trabalhos de pesquisa e do comportamento do clima na região médio norte nesta e nas últimas safras. Atentos, os consultores aproveitaram para fazer perguntas a respeito das pesquisas desenvolvidas pela instituição.

A segunda parte da visita foi uma visita ao campo de pesquisas, onde foram apresentados alguns ensaios com a cultura da soja que são conduzidos pelos pesquisadores avaliando problemas locais que acometem a cultura.

O gerente de Desenvolvimento Técnico de Mercado da Syngenta para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, Vinicius Junqueira de Moraes, disse que os consultores tiveram uma dinâmica diferente da realidade vivida no sul do país. Ele cita que uma das diferenças é em relação ao tamanho das propriedades, menores que as localizadas em Mato Grosso.

“A ideia é ver, com o produtor, como ‘funciona’ uma fazenda no Mato Grosso, as consultorias e as entidades de pesquisa. Por isso que a Fundação Rio Verde, que é referência na região, com trabalho de excelência, com pesquisadores excelentes, entender como uma fundação de pesquisa de trabalha”, detalhou.

Moraes destacou ainda a necessidade de ampliar o grau de informações a respeito da anomalia da soja, doença que preocupa os produtores gaúchos. “É uma coisa muito nova, está começando a surgir nas lavouras gaúchas, então é importante sair com os conceitos que, tanto o Fábio (Pittelkow) quanto a Luana (Belufi), nos apresentaram e quando voltar ter um olhar mais clínico para identificação ou não desse problema”, explicou.

A pesquisadora Luana Belufi ressalta que a visita dos consultores permite que a Fundação Rio Verde alcance seus objetivos, apresentando o resultado do trabalho de pesquisas. “Atende um dos nossos objetivos que é a difusão de conhecimento gerado em nossa estação. E é importante neste momento que a gente tem a soja no campo, onde na prática conseguimos mostrar nossas dificuldades e ao mesmo tempo potenciais com a cultura. De posse dos resultados da última safra conseguimos mostrar como conduzimos esses trabalhos, indo in loco na soja, mostrando nossa estrutura e o campo experimental. É importante pra um grupo como esse, que vai levar para os produtores da região sul o nosso trabalho como instituição de pesquisa desenvolvido aqui em Mato Grosso”.

Além da Fundação Rio Verde, o roteiro de visitas do grupo de consultores incluiu visitas a propriedades rurais e também cooperativas em cidades da região médio norte




Busca



Enquete

O Governo de MT começou a implantar o BRT entre VG e Cuiabá. Na sua opinião:

Será mais prático que o VLT
Vai resolver o problema do transporte público.
É uma alternativa temporaria.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados.

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114